O empate em 1×1 com o Vasco, no último domingo (22), em São Januário, teve um gosto amargo para o Athletico, que saiu na frente no placar, mas levou o gol em um pênalti bem questionado. No entanto, o técnico Tiago Nunes valorizou o ponto somado fora de casa, muito por conta da pouca preparação do time para este duelo.

“O resultado não é o ideal, queríamos ter vencido, podíamos ter vencido, mas pela condição que tivemos nos últimos dias foi um ponto importante somado aqui no Rio de Janeiro”, apontou o treinador.

+ Leia também: Luxemburgo alfineta o Furacão: “Time mais argentino do Brasil”

Depois da conquista do título da Copa do Brasil, na última quarta-feira (18), o Furacão quase não treinou. A quinta-feira (19) foi de comemoração e festa, enquanto a sexta-feira (20) foi de folga. Apenas na manhã de sábado (21) é que o elenco treinou, em uma atividade rápida e que pouco serviu para ajudar o comandante rubro-negro a escolher quem iria a campo.

“Eu questionei os jogadores e perguntei quem estava em condição de jogo. Os que se sentiram à vontade para jogar vieram, as escolhas foram muito simples nesse sentido. Dentro disso, por só ter feito um treinamento, que foi um recreativo de 20 minutos, porque eu fui saber mesmo quem estava bem depois, então não treinamos nada, tivemos uma boa atuação”, elogiou Tiago.

+ Mais na Tribuna: Athletico comemora ponto contra o Vasco mesmo com polêmica de arbitragem

O Athletico está na nona posição na tabela do Campeonato Brasileiro, com 27 pontos, 18 a menos que o líder Flamengo. Com a vaga na Libertadores de 2020 já garantida, o clube, em tese, não teria uma motivação para todo o segundo turno que tem pela frente. Até por isso, o treinador ressaltou que, em um primeiro momento, é preciso focar para somar pontos o suficiente para não passar sustos.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão!

“O foco principal é que possamos fazer a pontuação necessária para não corrermos nenhum risco de rebaixamento. Então trabalhamos em uma meta de 50 pontos. A partir daí, buscar mais objetivos dentro da competição, quem sabe um G6”, completou ele, que ressaltou que uma boa campanha traz retorno financeiro ao clube.

“Uma classificação melhor envolve uma recompensa financeira, temos responsabilidades com o nosso torcedor. Ninguém vai largar nada. Temos que jogar de maneira solta, leve, sem o peso de ter o medo de errar”, concluiu.