O show de bola do Athletico em cima do Boca Juniors na noite da última terça-feira (2), com direito a três gols do argentino Marco Ruben, pode até ter sido uma surpresa para alguns atleticanos – até mesmo otimistas -, mas para um rubro-negro apaixonado o que aconteceu na Arena da Baixada foi o esperado.

Fazendo um papel de vidente, o torcedor Fabiano Claro cravou o hat-trick do camisa 9 um dia antes de a bola rolar. Além desse impressionante acerto, ele também fixou, em agosto do ano passado, outra “previsão digna de deixar a Mãe Dináh no chinelo: que o Athletico terminaria o Campeonato Brasileiro em sétimo e que o time seria campeão da Sul-Americana.

+ Leia mais: Rony e Marco Ruben foram decisivos para o Athletico contra o Boca 

O empresário de 36 anos, que desde criança vive intensamente seu amor pelo Furacão, é bem ativo nas redes sociais e usa muito o Twitter para interagir com outros atleticanos.

 

“Falei sério, não foi só uma brincadeira para valorizar o jogo. Além de postar, mandei até para um amigo. Porém, acreditei que seria 3×1, mas sabia que os nossos três gols seriam do Marco Ruben”, explicou o torcedor.

Fabiano e a esposa, Rhaissa Silva, ao lado do ídolo atleticano Sicupira. Foto: Arquivo pessoal.
Fabiano e a noiva, Rhaissa Silva, ao lado do ídolo atleticano Sicupira. Foto: Arquivo pessoal.

Mas a premonição mais assertiva de Claro e que impressiona é outra. No dia 29 de agosto do ano passado, com Tiago Nunes à frente do Athletico a pouco tempo e ainda se recuperando do prejuízo de estar na zona de rebaixamento sob o comando de Fernando Diniz, o torcedor fez uma previsão que faria até os mais otimistas contestarem.

Na ocasião, o Rubro-Negro era o 13º no Brasileirão, mas ainda corria o risco de descer na tabela de classificação. Na competição continental, o Furacão já tinha passado a primeira e a segunda fase, mas não sabia o que viria pela frente. O torcedor, assim como no caso do palpite dos gols de Marco Ruben, assegurou que não foi por acaso que apostou na posição final do time e no título.

“Quando o Tiago Nunes assumiu o time, nós já percebemos na hora uma mudança significativa, principalmente na questão motivacional. Nós tínhamos bons jogadores, porém, mal distribuídos em campo, tínhamos bom toque de bola, mas sem objetivo. Era questão de tempo arrumar. E na ‘Sula’, eu via uma oportunidade enorme, visto que nosso time era equivalente a todos que estavam lá, era uma chance real de conquista”, explicou o atleticano.

+ Leia também: Torcida do Furacão fez o Cadeirão ferver

E a confiança de Claro não para por aí. Para o restante da temporada 2019, ele também assegura mais conquistas para o Furacão.

“Acredito que levamos Campeonato Paranaense e mais uma competição importante. Ou duas, visto que a Recopa é realidade. Quem diria, a tempos atrás, que um dia faríamos 3×0 no Boca Juniors em casa, em uma Libertadores? Então, por que não podemos sonhar em conquistar o mundo em mais alguns anos?!”, arrematou, via WhatsApp, porque assim como prometeu, estava totalmente sem voz para dar entrevista por telefone.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!