A estreia do Athletico na Copa Libertadores 2019 não saiu como esperado, mas, ainda assim, a primeira participação do time nesta temporada ficará marcada na história do clube. Na noite de terça-feira (5), o Furacão perdeu por 1×0 para o Deportes Tolima, em Ibagué, na Colômbia, no início de sua sexta participação na principal competição do continente sul-americano.

+Leia mais: Furacão renova com o volante Wellington

Desde a longa viagem pra cidade do adversário, com chegada que teve direito à recepção calorosa com música regional, até entrevistado que recebeu uma ‘surpresa’ de um passarinho atrevido, teve de tudo.

O Rubro-Negro iniciou sua trajetória rumo à Colômbia ainda no sábado (2), quando a delegação viajou até São Paulo. Por lá permaneceu até domingo onde realizou um treino e depois pegou o voo para Bogotá. Chegando em terras colombianas, embarcou em um ônibus e encarou cinco horas até o local do confronto.

+ Veja ainda: Clubes são convocados pra definir novo presidente da FPF

Depois de um total de 12 horas de viagem, o Furacão chegou a Ibagué sendo muito bem recepcionado. Uma banda de músicas típicas colombianas recebeu o time na chegada ao hotel. Não à toa, a cidade tem o título de Capital Musical da Colômbia.

Apesar de todo a longo percurso, o técnico Tiago Nunes, na segunda-feira (4), véspera do jogo, explicou que o trajeto cansativo não atrapalharia a equipe. “Não atrapalha em nada. A logística foi boa e temos tempo suficiente para descansar até o jogo”, disse.

+ Leia também: Tiago Nunes não vê desfalques e improviso como decisivos pra derrota

A estreia do time na maior competição nacional foi especial para todo o elenco pela grandiosidade da Libertadores, mas foi inesquecível para um atleta em especial. O volante Erick nunca tinha feito uma viagem internacional. Foi a primeira vez que o jogador, que chegou nesta temporada no Furacão, saiu do Brasil.

+ Mais na Tribuna: Atleticanos enfrentam longa viagem, mas esbarram em festa dos colombianos

A ansiedade pela estreia em uma noite de gala prejudicou o Rubro-Negro, que acabou derrotado. Na saída do estádio, os jogadores estavam visivelmente chateados e alguns conversaram com os sete jornalistas brasileiros que estavam acompanhando o time.

O zagueiro Thiago Heleno, ao falar com a imprensa, explicou que os jogadores sentiram a pressão. Enquanto afirmava como o Athletico tem uma capacidade de poder de reação, foi atingido por um cocô de pombo. “É sinal de sorte?”, finalizou.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!