O lendário saltador Jesse Owens, que desafiou Adolf Hitler ao ganhar quatro medalhas de ouro nas Olimpíadas de Berlim em 1936, teve seu último recorde ainda remanescente superado nesta quinta-feira.

O americano foi o detentor de um recorde que mais tempo durou na história do atletismo em pista ao ar livre. No dia 25 de maio de 1935, a cidade de Ann Arbor (EUA) foi testemunha de uma proeza que levaria exatos 25 anos e 79 dias para ser superada.

Owens saltou 8,13 m e quebrou a marca até então pertencente ao japonês Chuhei Nambu. Seu feito só seria quebrado pelo também americano Ralph Boston, em 1960.

Mas, por ironia ou não, é justo um alemão a bater o recorde de longevidade do saltador americano. Jürgen Schult, que detém a marca mundial de lançamento de disco, completa nesta semana 25 anos e 80 dias em poder da façanha.

Foi no dia 6 de junho de 1986 que Schult arremessou o disco a uma distância de 74,08 m e entrou para a história da modalidade. Em pista coberta, Carl Lewis detém o recorde absoluto de uma marca que mais tempo permanece intacta. No dia 27 de janeiro de 1984, dois anos antes do feito de Schult, o americano saltou 8,79 metros e sua façanha ainda perdura como a melhor da história.

Já no atletismo feminino, o recorde que mais tempo dura (três anos mais que o de Schult) é o de 800 metros, estabelecido pela então tchecoslovaca Jarmila Kratochvilova no dia 26 de julho de 1983 com um tempo de 1min53s28.