Dois estreantes e um prata da casa foram decisivos para que o Operário reencontrasse a vitória no Paranaense. Na noite de ontem, no Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa, o Fantasma da Vila Oficinas passou pelo Paranavaí, por 2 x 1. O resultado dá certo alívio ao Alvinegro dos Campos Gerais para o início do 2.º turno. Na fuga contra a zona de rebaixamento, o time se distancia do próprio Vermelhinho do Fim da Linha, que ainda permanece na zona mais ingrata do Estadual.

Com o meio-campista Ceará suspenso, coube ao jovem Maicon vestir a camisa 10 do Alvinegro da Vila Oficinas. O jogador revelado pelo próprio Fantasma, que passou a ganhar mais espaço no time após a partida contra o Iraty, quando marcou dois gols, voltou a balançar as redes contra o Paranavaí. Depois de receber a bola na zona intermediária, ele encarou o setor defensivo, levou a melhor, e saiu na cara do goleiro Serginho, pra abrir o placar, aos 20 minutos.

O segundo gol saiu de jogada envolvendo os dois novos contratados do Operário. Após escanteio cobrado pelo lateral-direito Rogério Souza, ex-Atlético, o zagueiro Negueti, ex-Paraná Clube, subiu no meio da zaga do Paranavaí e balançou as redes aos 31 minutos. Questionado sobre ter sorte ao marcar na partida de estreia, Negueti, que também foi capitão do Fantasma, chamou a responsabilidade: “Sorte? Não! Foi competência”.

Ainda na etapa inicial, cinco minutos depois, o Paranavaí chegou a descontar com o atacante Francis. As duas equipes ainda tiveram boas oportunidades, mas os goleiros e a trave acabaram sendo decisivos para que ninguém mais balançasse as redes na noite de ontem. “Perdemos o jogo em detalhes, mas saímos de cabeça erguida, pois aqui não tem nenhum derrotado”, ressaltou Rodrigo Crasso, lateral do ACP.