O empate em 1×1 com o Coritiba ontem foi considerado um bom resultado para os jogadores do Atlético, principalmente por manter a sequência de sete jogos sem perder e por se tratar de um clássico.

Já Renato Gaúcho, expulso por Héber Roberto Lopes, que foi rígido com o treinador e o mandou embora aos 42 minutos do primeiro tempo, não opinou sobre a postura do seu elenco porque tinha embarque agendado para o Rio de Janeiro logo após jogo, deixando para os jogadores a responsabilidade de falar sobre a partida.

Considerando o primeiro tempo, o elenco rubro-negro saiu aliviado com o resultado, um empate conseguido em lance bizarro da defesa do Coritiba após cobrança de falta de Edílson, aos 23 minutos do segundo tempo.

Mas o grupo não deixou de observar que mais uma vez houve falha de marcação que permitiu ao Coritiba abrir o placar, também aos 23 minutos, mas da etapa inicial.

“Um clássico é decidido nesses lances e tem que estar mais atento. Não é o primeiro que levamos”, reclamou Marcinho. Quem comemorou bastante foi Edílson, que marcou seu primeiro gol com a camisa do Furacão.

“O Renato cobra e eu tenho esta especialidade de bater em direção ao gol. Às vezes a bola desvia, mas às vezes entra direto e tive a felicidade de fazer um gol no meu primeiro clássico”, disse Edílson.

Mas nem assim, o jogador deixou de reclamar do erro que colocou o Atlético em risco, principalmente pó segundos antes de a bola de Émerson entrar, a defesa ter feito trabalho corretamente e jogada semelhante. “Em clássico você não pode dar espaço, errar. Num escanteio, eles já tinham feito o cabeceio e o Deivid salvou e na segunda fizeram”, reclamou Edílson.