A torcida rubro-negra terá que se desdobrar para prestigiar o Atlético nos dois compromissos que selam a semana de comemorações pelos 90 anos do clube. A rigor, a intenção da alta cúpula atleticana era mandar o jogo contra o Londrina, o primeiro do confronto pelas semifinais do Campeonato Paranaense, no evento-teste da Arena da Baixada, que acontece sábado às 15h. No entanto, sem os laudos de liberação da praça esportiva, que passa por completa modernização para receber quatro partidas da Copa do Mundo, em junho, não coube outra alternativa à Federação Paranaense de Futebol se não marcar o compromisso contra o Tubarão para as 18h30, no Ecoestádio Janguito Malucelli.

“Conversei com o presidente (Mário Celso) Petraglia por telefone e ele expôs sua intenção em jogar no sábado em virtude da Libertadores (hoje à noite o Atlético recebe o Vélez Sarsfield, da Argentina). Expliquei pra ele que precisaria dos laudos, e são vários laudos de diferentes órgãos, até pra encaminhar ao Ministério Público. Diante disso demos o prazo para o clube buscar esses laudos, mas hoje (ontem) pela manhã o presidente ligou novamente e nos posicionou que não conseguiria os laudos e seria impossível (mandar a partida na Arena da Baixada), pois o estádio está em pleno ritmo de trabalho e eles têm de oferecer o mínimo de estrutura ao público”, explica o presidente da entidade Hélio Cury.

Apesar de nem de longe se aproximar à expectativa da FPF, que conta com datas reservadas pela Confederação Brasileira de Futebol para organizar os jogos de ida das semifinais do Estadual – hoje, por exemplo, quando o rival Coritiba visita a equipe do Maringá e também dia em que a Federação projetava inicialmente para o confronto contra o Tubarão – Hélio Cury acredita que homologar o jogo para o início da noite de sábado, no Ecoestádio, foi a saída de menor impacto para o calendário. “Essa foi a melhor maneira que encontramos em termos de calendário. Dia 26 (hoje) é uma data reservada à FPF para a realização da semifinal e semana que vem seria a data da Conmebol, mas eles acabaram antecipando. Tivemos que fazer uma manobra, pois entendemos que vários jogadores do Atlético estão inscritos na Libertadores e também disputando o Estadual, ou poderão ser usados”, comenta o dirigente.

Efeito cascata

Se por um lado a pedida do Atlético em enfrentar o Tubarão sábado pelo Paranaense, mesmo que fora da remodelada Arena da Baixada, atende ao intervalo mínimo de 66 horas entre duas partidas, previsto pelo Regulamento Geral das Competições da CBF, por outro aperta ainda mais o já compacto calendário – e encavala as datas para as finalíssimas da competição, confirmadas nos dias 6 e 13 de abril. Ou seja, como o jogo de ida acontece na quarta-feira dia 2/4 no Estádio do Café, Rubro-Negro ou Londrina terão apenas três dias cheios de treinamentos antes da decisão. Mesmo assim, Hélio Cury ressalta que nenhum dos postulantes ao título será prejudicado. “O Coritiba joga (hoje) no meio da semana e no domingo, e semana que vem conta com um tempo maior de preparação. Já Atlético e Londrina se enfrentam no sábado e depois no meio da semana, então há uma compensação equivalente”, finaliza Hélio Cury.