O Atlético inicia hoje, às 21h50, contra o Flamengo, na Vila Capanema, a luta pelo título inédito da Copa do Brasil. Com sua posição no G4 do Campeonato Brasileiro ameaçada depois dos recentes tropeços contra Criciúma e Botafogo, fora de casa, o Furacão vai tentar fazer valer o fator casa para ir com vantagem para o jogo de volta, semana que vem, no Maracanã. Na vez anterior em que precisou fazer o resultado positivo no jogo de ida, o Furacão levou a melhor. Foi na semifinal, quando venceu o Grêmio por 1 x 0 e garantiu vaga na decisão com o 0 x 0 em Porto Alegre.

Apesar de acostumado a fazer da Vila Capanema o seu caldeirão, o Atlético terá algumas baixas para o primeiro duelo decisivo da Copa do Brasil. As principais estão na defesa. Com a suspensão do lateral-direito Léo, a tendência é que Jonas assuma a posição. Porém, o treinador pode improvisar. Se o lateral-esquerdo Pedro Botelho for liberado pelo departamento médico, e for o titular, o volante Juninho pode sair da esquerda e atuar improvisado como lado direito do time atleticano.

Para compensar as baixas, o técnico Vagner Mancini poderá contar com a volta do volante Deivid, que cumpriu suspensão. Assim, a dúvida está no companheiro do camisa 5 rubro-negro no setor de contenção da equipe. Como vem acontecendo na Copa do Brasil, Zezinho deve ser o titular e João Paulo tende a iniciar a partida na suplência.

Já o volante Bruno Silva, por ter disputado a Copa do Brasil pela Ponte Preta, não poderá atuar. Na mesma situação estão outros dois jogadores: o lateral-esquerdo Rodrigo Biro, que poderia ser uma opção, mas já entrou em campo pelo torneio – também defendendo a Macaca – e o atacante Roger, que disputou a competição nacional deste ano pelo Sport Recife.

O setor de criação terá o retorno de Paulo Baier e, no ataque, Éderson e Marcelo terão a missão de marcar os gols que poderão dar ao Furacão uma boa vantagem para a finalíssima, no Rio de Janeiro.