O Atlético terá de passar por uma reformulação em 2012 e deixar para trás todos os erros que levaram o time ao rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Mas a programação não será imediata e as primeiras medidas só começarão a aparecer na segunda quinzena de dezembro, quando será conhecido o novo presidente do Furacão. Antes disso, Marcos Malucelli, que preside o Furacão até o dia da posse da nova diretoria, não vai tomar nenhuma atitude.

Uma das maiores reformulações será do elenco. Hoje, dos 28 jogadores, apenas 18 têm contrato até ano que vem, sendo que Renan Rocha, Gustavo e Fransérgio têm vínculos que encerram até julho. Metade desses jogadores que deve sair agora em dezembro foram nomes constantes nas últimas rodadas, alternando entre titularidade e banco, mas sempre presentes nos jogos decisivos do Furacão.

O primeiro a deixar o grupo foi técnico Antônio Lopes, que teve o contrato encerrado ontem mesmo, data do último jogo do Campeonato Brasileiro. O Delegado admitiu que não foi procurado por ninguém para falar sobre seu futuro.

Adaílton se desligou ontem e volta para o Vitória, assim como Paulo Roberto, que jogou apenas na primeira rodada do Brasileirão e seguiu no departamento médico o restante da competição.

O goleiro Márcio, que já está acertado com o Botafogo, de Ribeirão Preto, se desliga definitivamente do Furacão na sexta-feira, e Kléberson no sábado. Na próxima semana Cléber Santana e Rodriguinho dão continuidade aos desligamentos, com Fabrício, Marcelo Oliveira, Wagner Diniz e Wendel fechando a lista das despedidas no dia 31, como até lá o novo presidente já será conhecido, o quarteto pode ganhar uma renovação antes do desligamento.

Cléber Santana já deu sinais de que não deve ficar no clube. Após a vitória sobre o Coritiba, resultado que não salvou o Furacão da degola, o meia desejou sorte na caminhada em 2012.

“Fizemos nosso papel, mas infelizmente na conseguimos. Vamos torcer para que o Atlético volte no ano que vem para A Série A”, disse Cléber.

A saída de Wagner deixa o Atlético sem nenhum nome para a lateral direita, devido também à saída de Wendel, substituto improvisado por Lopes nos últimos jogos.

Dos 18 jogadores que ficam no time, dez foram formados na base do Atlético, e apenas Renan Rocha e Fransérgio não têm contrato longo, os demais têm pelo menos mais dois anos de vínculo com o Furacão.

Entre a turma que fica há ainda os novatos Bruno Pires, zagueiro, e Esquerdinha, meia-atacante, que participaram do elenco, mas sem se firmar entre os profissionais.