Cláudio Pinheiro / Futura Press
Cláudio Pinheiro / Futura Press

Shumaker abriu o placar para o
rubro-negro no início do jogo.

O Atlético dificultou um jogo que seria fácil. Enfrentando o frágil Paysandu, o Furacão não soube aproveitar a vantagem técnica, teve uma jornada fraquíssima e acabou perdendo por 2×1, ontem, no Mangueirão.

Sem se impor em momento algum da partida, o rubro-negro perdeu a oportunidade de se aproximar dos times que lutam por uma vaga na Copa Sul-Americana e empaca na tabela, podendo perder posições na classificação do campeonato brasileiro ao final desta 20.ª rodada.

Em campo, o Rubro-negro começou deixando muito espaço para a criação de jogadas do Paysandu. Tanto que os donos da casa criaram duas oportunidades de gol em apenas seis minutos de jogo. Ao perceber que poderia chegar à frente, pois o adversário era frágil, o Atlético partiu para cima, e logo na primeira apontada abriu o placar – aos 11, Lima tentou o cruzamento, mas a bola foi cortada pela defesa. André Rocha disputou e ganhou a dividida, deixando o lance a caráter para Schumaker, que driblou Alexandre Fávaro antes de abrir o placar.

Só que a possibilidade – clara – de ?resolver? o jogo ainda no primeiro tempo foi desperdiçada. O Atlético marcou e voltou a recuar, deixando Lima e Schumaker isolados e Fabrício perdido entre os dois volantes do Papão. A falta de ambição foi punida com o empate dos donos da casa. Aos 16 minutos, João Carlos aproveitou a bobeada dos zagueiros para igualar a partida – o zagueiro do Paysandu cometeu falta, não marcada, no início do lance.

Preferindo jogar para marcar e não para buscar o resultado, o Furacão fechou o primeiro tempo sem criar novas oportunidades e, principalmente, sem aproveitar os espaços deixados pelos donos da casa. Algumas peças do Atlético não funcionavam – especialmente Marín e Alan Bahia.

Na volta do intervalo, Antônio Lopes sacou Marcus Winícius e colocou Cléverson, que passou a ser o volante mais avançado da equipe, aproximando-se de Fabrício. E, apesar de um bom início, o jogador ?afundou? e, logo a 17 minutos, foi substituído por Ticão – e dificilmente terá novas chances no Atlético. O Paysandu aproveitou a derrocada rubro-negra e passou a pressionar, deixando a defesa desarvorada.

A entrada de Ticão não resolveu o problema do Atlético, que seguiu dando muito espaço para o avanço dos donos da casa. E de tanto chegar na cara do gol de Diego, o Paysandu conseguiu a virada. Aos 32 minutos, após não conseguir o arremate, Róbson apenas rolou para o volante Vânderson, ex-Atlético, que chutou colocado, sem chances para o goleiro rubro-negro. Para piorar, Lima foi expulso, deixando o Furacão sem condições de conseguir o empate.

CAMPEONATO BRASILEIRO

PAYSANDU 2×1 ATLÉTICO

Paysandu: Alexandre Fávaro; Felipe Saad, Marquinhos e João Carlos; Marco Aurélio, Vânderson, Alemão (Marabá), Luiz Augusto (Zé Augusto), Rodrigo (Balão) e Cléber; Robson. Técnico: Gilson Kleina

Atlético: Diego; Danilo, Paulo André e Marcus Winícius (Cléverson, depois Ticão); Jancarlos, Alan Bahia, André Rocha (Douglas), Fabrício e Marín; Lima e Schumaker. Técnico: Antônio Lopes

Súmula
Local: Mangueirão (Belém)
Árbitra: Sílvia Regina de Oliveira (Fifa/SP)
Assistentes: Ana Paula da Silva Oliveira (Fifa/SP) e Maria Eliza Correia Barbosa (SP)
Gols: Schumaker 11 e João Carlos 16 do 1º; Vânderson 32 do 2º
Cartões amarelos: Alemão, Marquinhos (PAY); Marcus Winícius, Schumaker, Cléverson, Fabrício, Lima (CAP)
Público total: 8.230
Renda: não divulgada