Ilan passou por 3 marcadores
e esteve próximo de um gol de
placa, mas chutou no goleiro.

Foi uma tarde de muita festa e protesto fora de campo e futebol de campeão dentro das quatro linhas. Assim, o Atlético confirmou o favoritismo e vai à final do campeonato paranaense enfrentar seu arqui-rival com a vantagem de jogar por dois empates ou dois resultados iguais para reconquistar a hegemonia estadual. Com total domínio da partida, o Rubro-Negro mostrou por que é o único time que não perdeu na competição e aplicou 3 a 1 no Londrina, ontem na Arena.

Durante toda a semana, o técnico Mário Sérgio fez várias experiências na equipe e aproveitou para fazer mistério. Esperou o que pôde para divulgar sua equipe e a única grande novidade foi a presença de Vânderson no meio-de-campo. Sem Adriano (machucado) e William (no banco), a marcação ficou mais consistente e Jádson teve a liberdade necessária para reger o Furacão. De seus pés nasceram as principais jogadas e ele ainda teve participação decisiva nos gols atleticanos.

Com o domínio da partida, o Rubro-Negro foi para cima e quase não deu chances para o Tubarão levar perigo ao gol de Diego. Muito pelo contrário. Quem teve que sujar a roupa foi o arqueiro Marcelo, que não pôde fazer nada na abertura do marcador. Após falta cometida por Charles, Washington cobrou curto para Alan Bahia, que apenas parou a bola para o próprio atacante fuzilar. A bola ainda pegou na trave antes de entrar.

O segundo gol quase saiu numa brilhante jogada de Ilan. Ele passou por três adversários e chutou para excelente defesa de Marcelo. No rebote, Washington tentou duas vezes, mas a zaga de safou. Já o Tubarão teve, num chute de Fabinho, boa chance que Diego, atento, espalmou para a linha de fundo. Para piorar as coisas para a equipe de Raul Pla-smann, Charles não se cansou de dar botinada e foi para o chuveiro mais cedo.

Na segunda etapa, Mário Sérgio colocou Alessandro Pinto no lugar de Fernandinho e deixou a equipe mais equilibrada. Do outro lado, Raul tentou com Léo, mas o Londrina continuou sem ameaçar. Tanto que o segundo gol rubro-negro não demoraria. Ilan lançou Jádson na área e o meia sofreu pênalti. O próprio Jádson cobrou e ampliou o marcador.

A boa vantagem no placar deixou a partida sonolenta e o treinador atleticano tratou de poupar Alan Bahia e Washington. Entraram Bruno Lança e Dagoberto, que deram novo ritmo ao time. No entanto, numa falha de marcação na zaga, Ricardo aproveitou uma sobra e diminuiu para 2 a 1. Não deu nem para o Londrina respirar. Após Alessandro levantar a bola na área, Rodrigo cabeceou com estilo, mas contra o próprio patrimônio e deixou o Furacão na final da competição. Ao apagar das luzes, Jádson ainda pôs uma bola na trave e a partida ficou nisso mesmo.

CAMPEONATO PARANAENSE
Local: Arena da Baixada
Arbitragem: Marcos Tadeu da Silva Mafra, assistido por Altemar Roberto Domingues e Antônio Aparecido Casagrande
Gol: Washington aos 22 do 1.º tempo; Jádson aos 6, Ricardo aos 32 e Rodrigo (contra) aos 33 do 2.º tempo
Cartão amarelo: Rocha, Germano, Bruno Lança
Expulsão: Charles
Renda: R$ 147.280,00
Público pagante: 12.727
Público total: 14.527

ATLÉTICO
3×1
LONDRINA

ATLÉTICO
Diego, Alessandro Lopes, Marinho, Ígor, Fernandinho (Alessandro Pinto), Alan Bahia (Bruno Lança), Vânderson, Jádson, Marcão, Ilan, Washington (Dagoberto). Técnico: Mário Sérgio.

LONDRINA
Marcelo, Carlos Alberto, Rodrigo, Charles, Fabinho, Rocha, Germano, Eduardo Neves (Ricardo), Nem, Rogério (Léo),  Cahê. Técnico: Raul Plassmann.