Depois de praticamente duas semanas sem entrar em campo, Atlético e Coritiba voltam a jogar. E justamente um contra o outro. Neste domingo (10), às 11h, na Arena da Baixada, Furacão e Coxa se enfrentam pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro sabendo que uma vitória neste clássico terá dois impactos. Um, na tabela. O outro, para a sequência do trabalho.

Derrotar o maior rival sempre pode ser o início de uma nova fase em qualquer clube. Até por isso, os dois treinadores sabem como é fundamental sair deste Atletiba com três pontos.

“Clássico sempre é um jogo motivante. Independentemente de quem está bem ou mal, quem colocar mais sabedoria em campo e souber jogar este tipo de jogo irá ganhar. Clássico é diferente e se ganha no detalhe. O importante é jogar com a cabeça, como equipe para tentar superar o adversário”, disse Fabiano Soares, comandante do Rubro-Negro.

“Todos os jogos são como uma final no Campeonato Brasileiro e combinando com isso a importância do clássico, que envolve toda a cidade, uma rivalidade acirrada e gera uma pressão, que temos que transformar em uma oportunidade de modificar o quadro, voltar a vencer e encaixar uma sequência que vá nos elevar no campeonato”, apontou Marcelo Oliveira, técnico do Alviverde.

Confira a tabela completa do Brasileirão!

Disputada acirrada

No momento, o Atlético está melhor na tabela. É o oitavo colocado, com 30 pontos, um a menos que o Cruzeiro, que fecha o G6. Porém, não venceu os últimos dois jogos, com um empate e uma derrota. Situação recente à do Coritiba, que não ganhou nas últimas três rodadas, com um empate e duas derrotas, e está apenas um ponto a frente da zona de rebaixamento, com 26 no total, quatro atrás do rival. Ou seja, vencer o Atletiba, para qualquer lado, servirá para se aproximar ainda mais do objetivo, crescer no Brasileirão, e de quebra, complicar o adversário.

Recuperado de lesão, Lucho González briga por uma vaga no time titular do Atlético no clássico. Foto: Albari Rosa
Recuperado de lesão, Lucho González briga por uma vaga no time titular do Atlético no clássico. Foto: Albari Rosa

“Todo mundo ainda tem coisa pra brigar. Faltam 16 rodadas e a situação do Atlético também não é tão confortável. Com uma vitória nós encostamos. Lógico que a situação deles é melhor que a nossa, mas em clássico a gente apaga tudo isso. Já vimos time em crise vencer aquele que está bem melhor colocado. Pegamos o Atlético na zona de rebaixamento, estavam em várias competições, e acredito que será um jogo muito bom, com duas equipes ainda aspirando coisa melhor no campeonato”, afirmou o atacante Kléber, que volta ao time do Coxa após quase dois meses fora, por causa da suspensão do STJD e de uma lesão de última hora.

“Nesta semana você vai à padaria, supermercado e encontra torcedores falando do jogo, nos incentivando ou colocando pressão. É um jogo diferente, mas o que temos que fazer é ter as ideias claras para o jogo e jogar como equipe para superar o Coritiba. É um jogo bonito de se jogar, mas o mais bonito é ganhar os três pontos”, acrescentou Soares.

Opções

Em campo, os dois clubes terão novidades. Pelo Furacão, o lateral-direito Jonathan e o zagueiro Thiago Heleno, recuperados de lesão, devem ser titulares. Os meias Lucho González, também recuperado de lesão, e Felipe Gedoz, que não vinha sendo sequer relacionado, também são opções. Pelo Coxa, além de Kléber, o zagueiro Werley, que estava machucado, e o meia Matheus Galdezani, que cumpriu suspensão, estão de volta. O lateral-direito Léo treinou com o elenco ao longo da semana e briga por uma vaga com Dodô.

Léo treinou esta semana e disputa posição com Dodô. Foto: Albari Rosa
Léo treinou esta semana e disputa posição com Dodô. Foto: Albari Rosa

“Temos que ter uma postura de equilíbrio. Ter a posse de bola é importante, mas é preciso progredir e tentar jogar. Espero que a gente consiga fazer isso”, explicou Marcelo Oliveira.

Certo mesmo é que este último Atletiba do ano pode não valer um título, como foram os dois embates na final do Campeonato Paranaense, mas colocará uma pressão enorme naquele que sair derrotado e servirá como um motivador para aquele que somar três pontos. De qualquer maneira, o tradicional clima de respeito com o adversário cercou os últimos dias antes do clássico.

“Estou muito motivado. Fizemos bons dias de treinamento, aproveitamos bastante e nunca tive o perfil provocador. Sempre fui jogador de futebol, sigo essa linha e jogar bem é minha meta e provocação. Nunca trabalhei com palavras, mas estou motivado. Já disputei clássicos muito importantes e espero sair deste com uma vitória”, afirmou o meia-atacante atleticano Guilherme.

FICHA TÉCNICA

BRASILEIRÃO
2º Turno – 23ª Rodada

ATLÉTICO X CORITIBA

Atlético
Weverton; Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Fabrício; Pavez, Lucho González (Matheus Rossetto), Sidcley, Guilherme e Nikão; Ribamar.
Técnico: Fabiano Soares

Coritiba
Wilson; Léo (Dodô), Werley, Walisson Maia (Cléber Reis) e William Matheus; Alan Santos, Jonas (Thiago Carleto), Matheus Galdezani e Rafael Longuine; Rildo e Kléber.
Técnico: Marcelo Oliveira

Local: Arena da Baixada
Horário: 11h (10/9)
Árbitro: Anderson Daronco (FIFA-RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Elio Nepomuceno de Andrade Junior (RS)