paranaense

A Taça Caio Júnior foi bem diferente da Taça Dionísio Filho. Mesmo sem ter terminado, já é possível afirmar que a segunda fase do Campeonato Paranaense teve características bem distintas da primeira. Começando pela inevitável situação de ter um campeão diferente, pelo simples fato de o Coritiba não estar classificado para a semifinal, e agora ficar aguardando o adversário da decisão, que começa no dia 1º de abril, domingo de Páscoa. Antes disso, três partidas definirão quem levantará a segunda taça do Estadual. Duas acontecerão neste domingo (25).

CONFIRA COMO FICOU A CLASSIFICAÇÃO FINAL DA TAÇA CAIO JÚNIOR

E ambas serão em Curitiba e na mesma rua. Às 16h, na Vila Capanema, o Paraná Clube, campeão do grupo A, recebe o Londrina, segundo colocado no grupo B. Mais tarde, às 20h, o Atlético, líder do grupo B, encara o Maringá, vice do grupo A. O horário diferente – e inusitado no final de semana – é por conta da natural imposição de um tempo de diferença entre as partidas e entre a movimentação das torcidas, pedido das forças de segurança.

Apenas o Atlético repete a dose como semifinalista. Os outros três que chegaram na primeira fase (Coritiba, Rio Branco e Foz do Iguaçu) ficaram pelo caminho – no caso do Foz, de maneira cruel, apenas um gol atrás do Maringá, e eliminado mesmo tendo a segunda melhor campanha geral. Outro que também lamenta é o Cianorte, que também fez bom campeonato, mas que não emplacou em nenhuma semifinal. Coisas de uma competição com fórmula que não é de pontos corridos – aprovada pelos clubes, é bom lembrar.

A polêmica da rodada foi nesse lance. O árbitro Rodolpho Toski Marques deu pênalti em Ederson. Foto: Reprodução/RPC
A polêmica da rodada foi nesse lance. O árbitro Paulo Roberto Alves Júnior deu pênalti em Ederson. Foto: Reprodução/RPC

Veja como foi o empate entre Toledo e Atlético!

Time mais regular do Paranaense, o que mais somou pontos na competição e ainda invicto na temporada, o Atlético novamente chega à semifinal em casa. Chegou como amplo favorito contra o Rio Branco, mas foi eliminado – e até por isso há uma mobilização interna para que não se repitam os erros da primeira fase. O Furacão quer fazer da Arena da Baixada um trunfo real pela primeira vez no ano (a expectativa é que o público seja o maior da temporada), e Tiago Nunes vai colocar em campo o time titular, que no empate com o Toledo foi preservado.

O Maringá teve que lutar pela vaga e por isso acabou até perdendo jogadores para o jogo do domingo – o volante Carlão e o goleiro Fábio estão suspensos. Pelo que demonstrou na partida contra o Paraná Clube, o técnico Fernando Marchiori terá Edinaldo no gol e Ícaro no meio-campo. A principal aposta do time da Cidade Canção, que conseguiu uma grande recuperação na Taça Caio Júnior, é nas bolas paradas, tanto com Bruno Batata, quanto com o zagueiro Alex Fraga, ambos vice-artilheiros do Paranaense com cinco gols.

Na Vila

Um duelo que ganhou muito em rivalidade terá seu segundo e último encontro em 2018 neste domingo na Vila Capanema. O Paraná Clube vai receber o Londrina num jogo que virou clássico e que agitou a Série B do Campeonato Brasileiro nos últimos anos, mas que este ano não acontecerá mais porque o Tricolor subiu para a primeira divisão – a única possibilidade de repetição é numa reedição da Primeira Liga, hoje difícil de acontecer.

Veja como foi a vitória do Paraná Clube sobre o Maringá!

O Paraná terminou a fase de grupos da Taça Caio Júnior com a melhor campanha. Além de mandar o jogo diante do Tubarão em casa, terá a vantagem de decidir na Vila caso vá para a final. Só que para isso sabe que precisa passar pelo difícil desafio do final de semana. E o técnico Rogério Micale, ainda invicto no cargo, quer um time com a mesma intensidade das últimas rodadas, mas com mais tranquilidade para transformar o domínio em gols. A esperança é Carlos Eduardo, um dos destaques da segunda fase do Estadual.

Wesley, o herói da classificação do Londrina. Foto: Gustavo Oliveira/Londrina EC
Wesley, o herói da classificação do Londrina. Foto: Gustavo Oliveira/Londrina EC

O adversário paranista mostrou que tem camisa. Mesmo vindo de dificuldades e trocando de técnico no meio do caminho, o Londrina venceu duas partidas seguidas e assegurou a classificação. Com Marquinhos Santos, o LEC melhorou, voltou a marcar e a ganhar jogos, e saiu do incômodo risco de classificação para voltar a sonhar com o título paranaense. Além disso, alguns reforços que não tinham rendido começaram a aparecer, como Wesley, o personagem da vitória sobre o Rio Branco na última quarta-feira (21), marcando três gols.

Confira como foi a classificação do Londrina!

No final das contas, a Taça Caio Júnior reuniu em sua semifinal as três principais cidades do Estado. A histórica rivalidade entre a capital e o Norte se refaz em dois jogos, e por mais que Atlético e Paraná Clube joguem em casa, Maringá e Londrina não chegaram até aqui para serem apenas coadjuvantes. Domingo será um grande dia para o Campeonato Paranaense.