No primeiro empate sem gols do ano, diante do Iraty, na tarde de ontem, o Atlético se classificou à semifinal do Estadual, mas deixou escapar o primeiro lugar do grupo A para o Paraná Clube. Com as combinações de resultados da última rodada, o time da Baixada evitou o confronto com o Coritiba e enfrenta o Toledo Colônia Work – único representante do interior nesta fase. Devido ao posicionamento em sua chave, o Rubro-Negro fará a primeira partida da semifinal na Arena – no próximo final de semana – e decidirá seu futuro em Toledo. Entretanto, por ter a melhor campanha na soma geral das duas fases, terá o benefício de atuar por dois resultados iguais.

Mais uma vez, o Atlético não jogou bem na presença de seu torcedor. Diante do retrancado Iraty, o time rubro-negro dominou o jogo e criou chances de marcar, principalmente no primeiro tempo. Porém pecou demasiadamente nos arremates. E pra piorar a situação, poderia ter saído derrotado, caso o árbitro não anulasse um gol do Azulão aos 48 minutos da etapa final, marcando impedimento do atacante Gilson.

Jogo

Lopes Júnior armou sua equipe com a clara proposta de não perder. E nos primeiros 45 minutos, o Iraty chegou apenas uma vez ao gol de Vinícius, com uma cabeçada, sem perigo, de Gilson aos 34. Fora isso, o domínio foi atleticano. Sem um jogador de área, Ney Franco optou por escalar um time mais rápido, que no toque de bola envolvesse o adversário. O Furacão pressionou até os 25 minutos e desperdiçou as oportunidades criadas. As melhores chances foram num bonito lance do garoto Pimba que, aos 21, obrigou Walter a uma ótima intervenção, espalmando a bola para escanteio. E no minuto seguinte, a zaga do Azulão cortou, em cima da linha, um arremate de Danilo.

Na etapa final, o panorama da partida não mudou, com o Atlético se atirando ao ataque e o Iraty preocupado em se defender. Porém, o ímpeto rubro-negro diminuiu e o jogo ficou truncado, com muitas faltas. Prova disso é que nove cartões amarelos foram distribuídos no segundo tempo.

Como o Azulão não ameaçava e o resultado de empate era suficiente para a classificação, o time da Baixada relaxou. Ney Franco aproveitou para substituir Danilo e Zé Antônio – que corriam o risco de serem expulsos – e também o pouco eficaz Willian. Colocou o time todo pra frente com os leves Wallyson, Rogerinho e Piauí.

Apesar da correria e do maior tempo de posse de bola, o Furacão não ameaçou a meta de Walter e terminou a partida classificado, porém vaiado.

Campeonato Paranaense

6.ª rodada – 2.ª fase

Atlético 0 x 0 Iraty

Local: Estádio Joaquim Américo, Arena da Baixada, em Curitiba

Atlético: Vinícius; Rhodolfo, Alex Fraga, Danilo (Rogerinho aos 26? do 2o); Nei, Alan Bahia, Pimba, Zé Antônio (Wallyson aos 12? do 2o) e Léo Medeiros; Netinho e Willian (Piauí aos 32? do 2o).

Técnico Ney Franco.

Iraty: Walter, Paulo Miranda, Sílvio e Reginaldo Nascimento; Marcelo, Almeida, Ricardinho, Eduardo (Massai aos 27? do 2o) e Wagner (Flávio aos 28? do 2o); Israel (Moisés aos 44? do 2o) e Gilson.

Técnico Lopes Júnior

Árbitro: Ito Dari Rannov

Auxiliares: Carlos Braatz e Sidnei Pedro da Silva

Cartões amarelos: Zé Antônio, Nei, Danilo e Léo Medeiros(A); Paulo Miranda, Marcelo, Sílvio, Eduardo, Gilson e Ricardinho(I)

público pagante: 9.749

público total: 11.013

renda: R$ 164.812,50

Ney Franco pede atenção total no mata-mata

Foto: Walter Alves
Zé Antônio não teve moleza contra o Azulão: dificuldade será a mesma diante do Toledo, na semifinal.

O empate na Arena serviu para a classificação, mas o Atlético voltou a apresentar dificuldades em furar o bloqueio de times retrancados. No jogo de ontem, o matador Marcelo Ramos foi quem fez mais falta. Sem ele, o Rubro-Negro perdeu sua referência no ataque, o que causou dificuldade para os alas e o segundo atacante – feito por Netinho – se aproximarem ao ataque.

Ney Franco defendeu a escalação, na qual sequer convocou Pedro Oldoni para o banco de suplentes. ?A falta de um jogador no banco não deu reflexo no nosso resultado. O Willian também sabe fazer gols de cabeça, mesmo não sendo um jogador alto. Não tivemos competência nas bolas aéreas e também nas jogadas pelo meio. Ficamos devendo um pouco na parte ofensiva?, explicou Franco.

Vantagem

A vantagem de dois resultados iguais nas semifinais foi comemorada pelo treinador atleticano, mas ele fez questão de relembrar que o Furacão não tem boas lembranças neste ano no mata-mata. ?Não podemos achar que essa vantagem é garantia de classificação. Temos que trabalhar e vencer dentro de casa. Tivemos a eliminação na Copa do Brasil no sistema de mata-mata e vamos preparar a equipe para passar pelo Toledo, que será muito complicado?, analisou o técnico.

A boa notícia do confronto diante do Azulão foi a estréia oficial do garoto Wallyson com a camisa rubro-negra. Ele entrou no segundo tempo e agradou pela movimentação. O treinador inclusive disse que ele e Marcelo Ramos poderão formar a dupla de ataque atleticana na seqüência.