Cocito foi bem na marcação,
mas levou o terceiro amarelo
e desfalca o time na quarta.

Poderia ter sido melhor. Não fossem duas bolas na trave e dois gols duvidosos anulados pela arbitragem e o Atlético teria conseguido a sua primeira vitória sobre o Palmeiras em São Paulo. Não deu. Com o Pacaembu vazio, devido a uma punição para o time paulista, o Rubro-Negro ficou no 1 a 1 e se manteve na 17.ª colocação do Campeonato Brasileiro. O próximo compromisso do Furacão será o Goiás, quarta-feira, na Arena da Baixada.

Após a sensacional vitória sobre o Vasco da Gama por 7 a 2, o time comandado por Antônio Lopes tinha a missão de quebrar o tabu de nunca ter vencido o Alviverde como visitante. Os três pontos dariam à equipe da Baixada uma posição acima na tabela e um maior distanciamento da zona de rebaixamento. Mesmo assim, o empate mantém o Atlético fora da região de degola do Brasileirão, mas saiu de campo com a sensação de derrota.

Não poderia ser diferente. Apesar do time de Leão ter iniciado com maior poder ofensivo, a arapuca armada por Lopes funcionou muito bem, principalmente no primeiro tempo. Os contra-ataques foram se encaixando aos poucos, o domínio de bola aumentou e coube a Aloísio, que iria sair, abrir o placar. Após grande lance do ataque rubro-negro, Lima rolou para o artilheiro fuzilar o gol, sem chances para Sérgio.

Para a segunda etapa, Leão mudou por atacado e apostou em Washington para buscar o gol. Não mudou muita coisa. Quem garantiu o empate foi o zagueiro Daniel cobrando falta da intermediária. Diego foi na bola, mas não alcançou. A partida daí, o jogo ficou mais aberto e com boas chances nos dois ataques. Reinaldo e Gioino obrigaram o goleiro Diego a fazer boas defesas.

No outro lado, por azar ou um pouquinho mais de capricho, a vitória não veio na bagagem do Furacão. Foram duas bolas na trave, de Marcão e Jancarlos, e dois gols anulados, que poderiam mudar a história da partida. Os atacantes Finazzi e Lima foram para as redes, mas acabaram flagrados pelo assistente Edgard Sales Abreu, que viu ambos adiantados nos lances em que ficaram frente-a-frente com o goleiro Sérgio.

Muita chiadeira contra arbitragem

Não foi o jogo dos sonhos do torcedor atleticano, reconhecimento feito por técnico e jogadores, mas que todo mundo saiu do Pacaembu reclamando da arbitragem, isso não há a menor dúvida. Os dois gols anulados foram muito contestados e a sensação geral era de que o Rubro-Negro merecia a vitória na partida de ontem, contra o Palmeiras. Menos mal que a avaliação geral é de que o Furacão tem tudo para decolar fazendo dois jogos em seqüência na Baixada (Goiás na quarta-feira e Cruzeiro no sábado).

?A equipe não fez uma grande exibição, mas jogou relativamente bem. Então, pela produtividade que teve o Atlético, gostei sem dúvida nenhuma?, analisou Antônio Lopes. No entanto, para ele, o placar foi injusto e o Rubro-Negro merecia a vitória. ?Entendi e entendo que nós deveríamos ter ganho o jogo. Se não fosse o erro de arbitragem, nós deveríamos ter ganho o jogo?, desabafou.

Para ele, o time errou demais e isso acabou comprometendo também uma melhor eficiência no ataque. ?Erramos um pouco na parte técnica, erramos muitos passes, domínio de bola, conclusão e também não tivemos muita velocidade?, apontou. Mesmo assim, ele ficou satisfeito com algumas jogadas e situações criadas no ataque. ?O Lima teve chance, o Jancarlos teve chance, os gols anulados e isso tudo somado a gente tem que concluir que a vitória deveria ter sido a nosso favor?, disse.

De acordo com o volante/zagueiro Cocito, a partida de ontem consolida a nova fase vivida pelo time dentro do Brasileirão. ?A equipe teve uma melhora até porque no jogo contra o Vasco a equipe tomou dois gols e hoje (ontem) tomou apenas um e que foi de falta?, explicou. Segundo ele, o entrosamento está vindo e a tendência é a produtividade aumentar ainda mais. ?A equipe está bem posicionada, está se encaixando mais e isso pode fazer com que a equipe melhore cada vez mais?, destacou.

Logo depois do desembraque, o time já volta a trabalhar para a partida de quarta-feira contra os goianos. A única baixa será o próprio Cocito, que levou o terceiro cartão amarelo e terá que cumprir suspensão automática. Durval deverá ser seu substituto. A definição sai no treinamento de amanhã no CT do Caju. À tarde, os reservas enfrentam o Juventus, da cidade de Jaraguá do Sul enquanto os titulares fazem um trabalho de hidroginástica numa academia do Batel.

CAMPEONATO BRASILEIRO
16.ª Rodada
Local: Pacaembu (São Paulo)
Árbitro: Cléver Assunção Gonçalves (MG)
Assistentes: Edgard Sales Abreu (MG) e Alexandre Santos Conceição (MG)
Gol: Aloísio aos 44 do 1.º tempo; Daniel aos 11 do 2.º tempo
Cartão amarelo: Marcão, Cocito, Evandro

Palmeiras 1 x 1 Atlético

Palmeiras
Sérgio; Daniel, Gamarra e Leonardo Silva; Baiano (Corrêa), Marcinho Guerreiro, Reinaldo, Juninho (Washington) e Fabiano; Marcinho e Gioino. Técnico: Émerson Leão

Atlético
Diego; Paulo André, Cocito e Danilo; Jancarlos, Alan Bahia (Marcus Winícius), Fabrício (Dennys Richard), Evandro e Marcão; Lima e Aloísio (Finazzi). Técnico: Antônio Lopes