Atlético recebe o Atlético-MG, na Arena da Baixada, hoje, às 20h30, no jogo que coloca frente a frente dois times que querem escapar da zona do rebaixamento. A equipe mineira está em situação pior, é a penúltima colocada e vem de uma sequência de seis jogos sem vencer, com o técnico Cuca já sob ameaça de ficar desempregado.

Mas no Furacão a história não é muito diferente e, segundo Renato Gaúcho, vai além do que parece ser. Ontem, às vésperas de iniciar o segundo turno, o treinador aproveitou para fazer um desabafo sobre tudo que tem enfrentado e das adversidades que terá de driblar para conseguir elevar a pontuação e melhorar a colocação na tabela.

Satisfeito com o seu grupo e os resultados alcançados, são com outros fatores que Renato demonstra preocupação. Com tantos problemas para resolver, nem a diretoria passou ilesa às críticas do treinador que reclamou desde o estado do gramado ao reduzido elenco.

Sempre muito direto, Renato mostra que está preocupado com um adversário extra que o time enfrenta em jogos em casa: o gramado da Baixada. No clube há dois meses, Renato está indignado com o campo que não apresenta melhora, mesmo com ele evitando treinos no estádio.

“Não é possível, são dois meses e isso dificulta o trabalho do jogador. O gramado não melhora, está sempre ruim, fica difícil. Eu peço às pessoas que cuidam do gramado para dar um jeito porque ele é mais um adversário que o Atlético tem que enfrentar neste Brasileiro”, disse Renato.

A falta de opção no banco também é problema. “Não posso fazer nada. Tenho um grupo, trabalho com ele(…) Vou trabalhar com quem eu tenho, não posso tirar o cara do DM com dor para jogar”, lamentou o comandante rubro-negro.

E se hoje Renato aponta estes dois fatores como principais preocupações, quando chegou enfrentou situação muito pior. Sem detalhar o que teve de consertar no Furacão, Renato faz questão de frisar que o time já fez milagres.

“Além de todos esses problemas, vocês não sabem nem da metade do que encontrei aqui. Tem que dar graças a Deus pelo Atlético ter conquistado 17 dos 33 pontos disputados. É uma média muito boa mesmo”, disse o treinador.