A possibilidade de o atacante Washington vir para o Atlético ganhou mais um capítulo. O diretor de futebol rubro-negro, Ocimar Bolicenho, viajou ontem para São Paulo, o que aumentou a expectativa de um acerto com o Coração Valente. Coincidentemente, o jogador foi barrado para a partida de hoje, entre São Paulo e Cruzeiro, pelas quartas-de-final da Copa Libertadores.

No entanto, o técnico do tricolor paulista, Ricardo Gomes, mantém o discurso de que Washington será útil para o Campeonato Brasileiro. Segundo o treinador, a intenção de não convocá-lo para a Libertadores é para preservá-lo e, na sequência, recuperá-lo.

”Tivemos uma conversa segunda-feira e ontem (terça). O Washington viveu uma série de fatos negativos e agora vamos recuperá-lo. É um jogador importante e vamos aproveitá-lo no Brasileiro”, garantiu Ricardo Gomes.

O discurso do técnico, no entanto, contraria os fatos recentes. No domingo passado, após o São Paulo perder em casa para o Botafogo, Washington revelou estar desmotivado no clube.

O atacante tornou-se definitivamente reserva no São Paulo, após a chegada de Fernandão. A ponto de, anteontem, em entrevista ao Paraná Online, o vice de futebol do clube paulista, Carlos Augusto de Barros e Silva, ter comentado que se houvesse interesse do Furacão os clubes poderiam conversar e fazer negociação. O empecilho para o Atlético é o alto salário pago ao jogador, algo em torno de R$ 220 mil.

Outra investida do Furacão em São Paulo seria para consultar a real situação de Carlinhos Paraíba, jogador que o técnico Leandro Niehues chegou a indicar como reforço para seu elenco. Carlinhos não foi aceito no Goiás por apresentar problemas no tornozelo direito durante a realização de exames médicos.

O departamento médico do tricolor paulista discordou da análise. Para o médico José Sanchez, o atleta não tem nenhuma lesão grave e deverá voltar a treinar com os companheiros amanhã.