Foto: Ciciro Back

Marcelo Ramos ganhou a vaga de Rodrigão e veste a 9 diante do rival: no Brasileirão ele deixou sua marca contra o Tricolor.

A invencibilidade do Atlético vai ser posta a prova amanhã em mais um clássico contra o Paraná. O Rubro-Negro não sabe o que é perder na Arena da Baixada há mais de cinco meses. A última derrota aconteceu ainda na era Antônio Lopes, em 15 de agosto, diante do Vasco, em jogo válido pela Copa Sul-Americana. Desde lá foram 12 jogos no Caldeirão sem perder, o que representa o 2.º turno inteiro do Brasileirão 2007 e duas partidas do Estadual deste ano.

E para manter o retrospecto altamente positivo, o técnico Ney Franco fará apenas uma alteração no time que vinha começando os jogos anteriores. Autor de dois gols contra o Cascavel, jogo do meio de semana, Marcelo Ramos ganhou a posição e deixou Rodrigão no banco de reservas. ?Tenho trabalhado para isso. Infelizmente sofri uma contusão, mas estou recuperado e espero amanhã jogar bem e fazer gols. O time vem bem e a bola vai chegar. Quando isso acontecer tenho que estar tranqüilo para poder marcar?, afirmou o matador rubro-negro, que tem boas lembranças de seu primeiro clássico contra o Paraná. No Brasileirão de 2007, ele foi autor dos dois gols na vitória por 2 a 1 contra o Tricolor, na Arena da Baixada.

Nos demais setores da equipe nada de modificações. Michel que tem sido substituído com mais freqüência foi confirmado na ala esquerda e, desta forma, Netinho permanece com a função de armador. Completam o meio-campo os volantes Claiton e Valencia. Na zaga o mesmo trio que não sabe o que é tomar gols há três partidas. Sobre o retorno de Marcelo Ramos à titularidade da equipe, o treinador disse que espera do atleta o mesmo desempenho apresentado no último jogo e explicou que a volta do artilheiro foi feita de forma gradativa. ?Foi um jogador que teve problema de lesão no início da temporada. Tivemos que ter o cuidado para que ele se recuperasse, principalmente na parte física, já que o Marcelo não é mais nenhum garoto?, explicou Franco.

Sem favorito

Assim como fez no Atletiba, Franco não credita nenhum favoritismo para o Atlético, mesmo o treinador tendo em suas mãos um time mais entrosado que o adversário. ?Acho que não existe favoritismo nenhum e que o jogo vai ser muito igual. O Atlético precisa confirmar porque é líder e o Paraná tem uma equipe que está se acertando, vem de uma goleada, e está em busca de reabilitação no campeonato?, explicou.

Ney Franco está invícto na Arena

Foto: Ciciro Back

Técnico orienta o aniversariante Claiton no treino de ontem: ?Não podemos deixar este nível cair?.

Ney Franco tem grande participação na ótima campanha que o Furacão vem acumulando nos últimos meses. Dos 12 jogos sem conhecer derrota, ele comandou o Atlético em 11 deles e obteve 10 vitórias e um empate. Aproveitamento de 94%. ?Contra números não dá pra discutir. É um desempenho muito bom e se conseguirmos manter esse nível, o Atlético entra forte em todas as competições que vai disputar. Reforçamos esses números conquistados em palestras aos atletas para que eles não deixem a qualidade cair?, afirmou Franco.

Diante da possibilidade de o Furacão conquistar o seu 13.º jogo de invencibilidade na Arena, número considerado místico por muitos – o treinador afirma estar confiante em mais um triunfo e adianta que não é supersticioso. ?O histórico do Atlético em seu campo é altamente vitorioso. Cabe ao nosso grupo manter essa tradição. Acredito que isso (misticismo) não vai afetar o desempenho da equipe?, finalizou.

Parabéns

O capitão Claiton, que ontem completou 30 anos, tem sido apontado pela mídia e torcedores como o novo símbolo da raça do Atlético em campo. O jogador comentou sobre essa identidade criada tão rapidamente e disse que está feliz por esse relacionamento carismático. ?Aconteceu muito rápido (empatia) e acho que é pela maneira que ajo dentro de campo. Mas não é porque a torcida está me dando apoio que vou relaxar. A cobrança sempre vai aumentar e tenho que fazer o possível para ajudar a equipe a conquistar as vitórias?, explicou. Sobre os 30 anos completados ontem, o volante comentou estar se sentindo bem fisicamente e que espera amanhã vencer mais um clássico no Estado. ?Seria um ótimo presente de aniversário?, alfinetou.