O sonho de voltar a disputar a Libertadores da América começa amanhã para o Atlético. Em Palmas, cidade distante 2 mil quilômetros de Curitiba, o time paranaense enfrenta o Tocantins-TO em partida válida pela Copa do Brasil, competição considerada por todos os clubes nacionais como o caminho mais curto para se chegar ao mais rentável e prestigiado torneio das Américas.

O Atlético viaja ao norte do País com a intenção de eliminar a partida de volta (marcada inicialmente para dia 18 na Baixada), mas para isso terá que vencer por uma diferença de dois gols. Pesa contra esse objetivo, o fato de ser a estreia do Rubro-Negro, disputa sempre marcada pelo nervosismo, e também o desconhecimento sobre o adversário.

“Vamos pra lá respeitando muito o Tocantins, principalmente porque a Copa do Brasil é um celeiro de zebras. Quando você menos espera aparece alguém e atropela. Além do mais quando se joga na casa do adversário e do qual você conhece pouco, de repente é surpreendido. O objetivo é fazer os gols de diferença e eliminar o jogo da volta, porque daria ao nosso time a oportunidade de descansar um pouco na tabela”, explicou o técnico Geninho.

Apesar de pouco conhecido, o adversário atleticano merece respeito. Foi campeão estadual de Tocantins em 2008 e neste ano disputará as suas duas primeiras competições nacionais: Copa do Brasil e Brasileiro Série D.

Competência

Se o Tocantins é calouro em competições nacionais, experiência é que não falta ao Furacão. No entanto, a ausência de competência, por muitas vezes, impediu o Rubro-Negro de alcançar melhores colocações na Copa do Brasil. Das 20 edições já realizadas, o Furacão disputou 12 vezes e a melhor posição foi alcançar as quartas-de-final em 1992, 97, 2001 e 07.

Outro estigma que tem acompanhado o clube é ser desclassificado por equipes de menor expressão no cenário nacional. Foi assim em 2006 contra o Volta Redonda, do Rio de Janeiro, e no ano passado diante do Corinthians alagoano. Ambas eliminações aconteceram na Arena, no reduto rubro-negro.

Para evitar qualquer surpresa em Palmas, o zagueiro Rhodolfo diz que o Atlético precisa ter muita atenção e não repetir os erros cometidos na última apresentação contra o Iraty, quando a equipe deu muito espaço para o adversário jogar. “Levamos um gol de descuido e isso não pode acontecer. Temos que acertar para a Copa do Brasil”, afirmou o xerifão da zaga rubro-negra.