A briga entre Atlético e Coritiba pelo empréstimo do Couto Pereira ganhou mais um capítulo. Nesta segunda-feira (26), o Furacão informou o Santos que mandará a partida do dia 5 de julho no estádio do rival, mesmo com o Coxa, em nota oficial, ter negado o empréstimo do Alto da Glória. A Conmebol, por indicação do Rubro-Negro, inclusive, já confirmou o confronto para o Couto Pereira.

Uma confusão que começou na última sexta-feira (23), quando o Coxa chegou a aceitar alugar o estádio para o Atlético. Porém, por pressão da torcida e de alguns conselheiros, o presidente Rogério Bacellar voltou atrás e, através de nota oficial, o clube informou que não poderia haver jogo no Couto porque o gramado está passando por reformas.

Incomodado, o Atlético respondeu com outra nota afirmando que existe um acordo entre os dois times de obrigatoriedade de cessão recíproca dos estádios, tanto o Couto quanto a Arena, e que por isso aceitou sediar a Liga Mundial de Vôlei, que acontecerá na mesma semana da Libertadores. Até por isso o Furacão segue batendo o pé e quer jogar na casa do Coritiba, que, por sua vez, segue afirmando que o Couto não reúne condições de jogo para os próximos dias e vai entregar à Conmebol um laudo onde aponta que o local não estará apto no dia 5 de julho.

Coritiba iniciou na semana passada a troca do gramado do Couto. Foto: Jonathan Campos
Coritiba iniciou na semana passada a troca do gramado do Couto. Foto: Jonathan Campos

“Não tem condições de jogo porque a grama estará iniciando sua germinação no dia dois. Se tiver jogo no período, vai danificar seriamente a grama. Não suporta jogo nos próximos dez dias”, disse, em entrevista à Rádio Banda B, Denis Renaux, engenheiro agrônomo responsável pela troca do gramado do Couto.

Vila é a solução?

Tanto que a partida do Coxa contra o Vasco, que acontece no próximo domingo (2), às 19h, será na Vila Capanema, três dias antes do duelo entre Atlético e Santos. O Paraná Clube confirmou que foi procurado pelo Alviverde e que cedeu o estádio para este confronto, um dia após a partida do Tricolor contra o Ceará, pela Série B.

A Vila Capanema, inclusive, segue sendo um plano B do Atlético caso, de fato, não possa mandar o jogo no Couto Pereira. O Furacão já procurou a diretoria do Paraná Clube e as duas partes até teriam chegado a um acordo financeiro para o aluguel, mas o Rubro-Negro indicou o Alto da Glória por conta do prazo imposto pela Conmebol para definir onde jogaria contra o Peixe. De acordo com os laudos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, divulgados nesta segunda-feira (26), a capacidade do Durival Britto e Silva é de 20.083 torcedores, o que estaria dentro da capacidade mínima exigida para a Libertadores, que é de 20 mil pessoas.