Washington comemora com Fernandinho
e Jádson o terceiro gol do Furacão.

Ainda não foi desta vez que o Atlético assumiu a liderança isolada do Campeonato Brasileiro, mas mostrou que é cada vez mais candidato ao título da competição. Jogando com personalidade, conseguiu segurar a ascensão do Corinthians e, com a ajuda da torcida, que quebrou o recorde de público este ano na Arena, aplicou 3 a 1 no time paulista, ontem. Com o resultado, o time continua no encalço do Santos. O próximo compromisso será o Cruzeiro, domingo, no Mineirão.

Como já era de se esperar, o Rubro-Negro enfrentou o Timão como mais uma decisão. Ao contrário das últimas partidas no Joaquim Américo, desta vez o adversário se postou melhor em campo, mostrou categoria e até esboçou um maior domínio de jogo. Tudo isso, no entanto, não foi suficiente para os corintianos ameaçarem a meta do goleiro Diego no primeiro tempo. Quem mais chegou, apesar das dificuldades de criação no meio-de-campo, foi o Furacão.

Até o volante Alan Bahia se apresentou ao ataque e teve duas boas oportunidades, com bolas chutadas próximo ao gol de Fábio Costa. Além dele, Marcão cobrou uma boa falta e Washington chutou uma bola, que tirou tinta da trave do time paulista. Do outro lado, a melhor chance saiu dos pés de Jô. O atacante, que quase veio para a Baixada, recebeu livre na ponta-esquerda, mas chutou completamente torto. No mais, a torcida do Furacão pediu “raça”, o time mostrou vontade e até pressionou no final da primeira etapa. No entanto, esbarrou no bom sistema defensivo armado por Tite.

Na volta do intervalo tudo mudou. O time de Levir Culpi voltou mais compactado e arrasador. O ala-esquerdo Ivan logo mostrou suas credenciais e deixou Fábio Costa assustado. Mas, o primeiro gol atleticano contou com a ajuda do adversário. Após cobrança de falta de Dagoberto, na ponta-esquerda, Gil e Váldson desviaram e colocaram a bola no fundo do gol. Não deu tempo nem de comemorar. Logo na seqüência, Coelho fez boa cobrança pela direita e Renato subiu mais que todo mundo para empatar.

A mesma torcida que cobrou mais raça no primeiro tempo não deixou o time se abalar e incentivou mais ainda. A Arena tremeu e o Furacão foi para cima martelar os corintianos. Em mais uma “bola parada”, Jádson cobrou falta de forma magistral. A bola ainda bateu no travessão e entrou. Fábio Costa apenas viu o desempate. Festa na arquibancada. O Atlético passou a cadenciar a partida e esperar pelo Corinthians para tentar os contra-ataques.

O atacante Washington ainda perdeu uma chance de ouro na pequena área, mas foi recompensado pelo esforço no finzinho da partida. Ele, que passou o jogo inteiro tentando voltar para buscar a bola, recebeu um belo lançamento, invadiu a área e foi derrubado. O próprio atacante cobrou e decretou a vitória rubro-negra.

Levir: vai chegar quem tiver organização

“É uma vitória que dá uma força muito grande para a gente seguir no campeonato buscando a primeira colocação”. Assim, o técnico Levir Culpi, do Atlético, resumiu a partida de ontem, contra o Corinthians, vencida por 3 a 1. Cauteloso, ele prefere deixar a festa para as arquibancadas, que voltaram a gritar “bicampeão”, mas garante que sua equipe mantém a luta pela liderança isolada. Para ele, quem se preparou melhor para vencer deverá ficar com o título, mas ainda não está descartada a aparição de um azarão na reta final da competição.

“Está difícil buscar a primeira posição, porque o Santos também persegue, mas se continuarmos assim, nós estaremos sempre próximos da ponta do campeonato”, analisou. Segundo ele, ainda não dá para dizer que o título ficará entre Furacão e Peixe. “O campeonato tem muita coisa pela frente, no campeonato passado nós tivemos algumas surpresas e pode acontecer o mesmo nesse. A tendência é de que as equipes mais organizadas permaneçam mais à frente na ponta e chegam na ponta”, apontou.

De qualquer forma, ele foi só elogios aos seus comandados. “Para quem gosta da parte tática, no primeiro tempo, o jogo foi excelente. O nosso time conseguiu uma superioridade e criou as melhores situações durante o jogo todo e teve a capacidade de finalizar com sucesso no segundo tempo”, destacou. Além disso, Levir considerou uma das partidas mais bonitas da competição.

CAMPEONATO BRASILEIRO
30.ª Rodada
Local: Arena da Baixada
Árbitro: Luís Antônio Silva Santos (RJ)
Assistentes: José Cláudio Paranhos (RJ) e Jorge Luís Campos Roxo (RJ)
Gol: Váldson contra aos 10, Renato aos 14, Jádson aos 25 e Washington aos 49 do 2.º tempo
Cartão amarelo: Betão, Jádson, Rogério Correia, Ânderson, Fabinho, Fabiano
Renda: R$ 298.811,50
Público pagante: 18.990
Público total: 20.479

Atlético 3 x 1 Corinthians

Atlético
Diego; Marinho, Rogério Correia e Marcão; Fernandinho, Alan Bahia, Fabiano, Jádson e Ivan; Dagoberto e Washington. Técnico: Levir Culpi

Corinthians
Fábio Costa; Betão, Váldson e Ânderson; Coelho (Rosinei), Wendel (Alberto), Fabinho, Fábio Baiano e Renato; Gil e Jô (Marcelo Ramos). Técnico: Tite