Valquir Aureliano
Dênis Marques perdeu
até pêrnalti ontem à noite.

A escrita está mantida. Se o Botafogo quiser vencer o Atlético em Curitiba terá que esperar o ano que vem. Como acontecia desde 1977, os cariocas não venceram o Rubro-Negro fora de casa. Melhor para o time da Baixada, que fez 2 a 0, se afastou da zona do rebaixamento e ainda pulou para a 15.ª colocação do Brasileiro.

O próximo compromisso do Furacão é o Figueirense, domingo, em Florianópolis.

Se os jogadores confiavam numa recuperação e diziam que o Atlético não merecia estar tão próximo da zona do rebaixamento, a resposta foi dada logo no início da partida. Numa escapada rápida de Evandro, o meia Juca não teve alternativas e derrubou o meia rubro-negro na área. Pênalti marcado e convertido. O colombiano Ferreira, feliz da vida com a convocação para a seleção de seu país, bateu bem e fez. O goleiro Max chegou a tocar na bola, mas não teve jeito.

Com 1 a 0 no marcador, as coisas se tornaram fáceis. O time se tranqüilizou e tomou conta da partida. Poderia até ter sido goleada, mas Dênis Marques perdeu boas oportunidades na cara do gol, assim como Danilo e Evandro, que teve grande chance do meio da rua sem goleiro e não arriscou. No outro lado, o goleiro Diego só teve trabalho numa cobrança de Ramon, que o arqueiro espalmou. Se o Botafogo só ciscava no campo do Furacão, o time da Baixada voltou a mostrar eficiência e ampliou. O lateral-esquerdo Marcão achou Finazzi na área. Ele dominou e chutou cruzado no canto de Max. A bola passou por baixo das pernas do zagueiro Scheidt.

O time voltou no segundo tempo com tudo e buscando mais gols. De novo, os cariocas abusaram das faltas e Ruy acabou derrubando Cristian na área. Novo pênalti, mas dessa vez Ferreira foi impedido de bater por Dênis Marques. O atacante, que já tinha sido fominha no primeiro tempo, acabou cobrando e desperdiçando. O goleiro mostrou muita competência e defendeu dois chutes seguidos do atleticano.

Para tentar algo mais, Celso Roth deixou o time mais criativo e veloz após a retranca inicial, mas não resolveu nada. As substituições foram mais ou menos seis por meia dúzia. Melhor para o Atlético, que continuou mandando na partida. O Delegado chegou a se irritar com a falta de criatividade e a acomodação do segundo tempo e fez algumas substituições, mas foram só para administrar o marcador.

Até o atacante Jadílson, depois de quase três anos, voltou a atuar com a camisa rubro-negra e só.

CAMPEONATO BRASILEIRO
27.ª Rodada
Local: Arena da Baixada
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (FIFA-PE)
Assistentes: Erick Bartholomeu Antas e Silva Bandeira (FIFA-PE) e Luciano José Coelho Cruz (PE)
Gol: Ferreira aos 4 e Finazzi aos 39 do 1o. tempo
Cartão amarelo: Reinaldo, André Conceição, Jonílson, Zé Roberto, Douglas
Renda: R$ 84.082,50
Público pagante: 6.265
Público total: 7.797

Atlético 2 x 0 Botafogo

Atlético
Diego; Jancarlos, Danilo, Paulo André e Marcão; André Conceição, Cristian (Douglas), Evandro (Thiago Almeida) e Ferreira; Dênis Marques (Jadílson) e Finazzi. Técnico: Antônio Lopes

Botafogo
Max; Ruy, Rafael Marques, Scheidt e Bill; Jonílson, Leandro Carvalho, Juca (Zé Roberto) e Ramon (Ricardinho); Reinaldo e Guilherme (Alex Alves). Técnico: Celso Roth