Mesmo com três rodadas pela frente no Campeonato Brasileiro, no Atlético-MG ninguém nega que o pensamento já esteja no Mundial de Clubes, que acontecerá em dezembro no Marrocos. E a equipe admite a preocupação em encontrar uma forma para bater o Bayern de Munique, provável adversário em uma possível decisão. Diante de um dos melhores times do mundo, o atacante Jô deu a receita para seus companheiros: repetir o que o Corinthians fez no Mundial do ano passado, quando venceu o Chelsea na decisão e se sagrou campeão.

“Para jogar contra times assim, precisamos ser taticamente disciplinados, e times brasileiros não estão muito habituados a isso. Se conseguirmos passar pela semifinal e jogarmos contra o Bayern, vamos ficar sob pressão pela forma como eles mantém a posse de bola. Guardiola levou isso para lá. Se quisermos vencer, precisaremos trabalhar os 90 minutos, fechar a defesa e efetuar nossa tática, como o Corinthians fez contra o Chelsea”, disse, em entrevista ao site da Fifa.

Durante a Libertadores, o Atlético-MG se notabilizou pelo estilo ofensivo, aplicando goleadas e encerrando a competição com 29 gols marcados em 14 partidas disputadas. O próprio Jô, no entanto, admite a impossibilidade de manter este estilo de jogo diante do Bayern de Munique e a necessidade de atuar de forma mais defensiva, com foco maior na marcação.

“O futebol é muito competitivo hoje em dia. Definitivamente vamos ter que marcar muito mais apertado que o normal. O Bayern está um degrau acima e, quando se joga contra um time assim, você precisa se guardar mais que o normal. Não será o fim do mundo se nós mantivermos todo mundo atrás da linha da bola e procurarmos um gol no contra-ataque, usando nossas peças de frente”, avaliou.