Atlético Mineiro e Cruzeiro entram em campo neste domingo, pela última rodada do primeiro turno do Brasileirão, em situações bem diferentes no campeonato. E, devido a um acordo entre as equipes, a partida, marcada para começar às 18 horas, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG), terá apenas a presença de torcedores atleticanos, por causa do mando do jogo – nem mesmo a diretoria cruzeirense deve comparecer ao estádio.

Com apenas 15 pontos somados até agora, o Atlético está na zona de rebaixamento do Brasileirão e sonha com uma vitória no clássico para entrar embalado no segundo turno da competição. Já o Cruzeiro, atualmente com 24 pontos, ainda tenta se aproximar dos líderes.

Esta será a primeira partida do técnico do Atlético, Cuca, contra o Cruzeiro, equipe da qual foi demitido menos de dois meses antes de assumir o arquirrival mineiro. E ele vai chegar na Arena do Jacaré com um time bem enxuto, pois dispensou durante a semana os jogadores Toró, Patric, Guilherme Santos, Giovanni Augusto e Wendel, além de mandar Leleu e Roger de volta para as categorias de base.

Cuca adotou a tática que o comandante adversário, Joel Santana, vem transformando em prática para os jogos do Brasileirão: o mistério em relação à escalação. Mas, com tantas dispensas no elenco, o treinador do Atlético deve usar o recém-contratado volante Pierre como titular, enquanto o lateral Triguinho, também novo na equipe, deve ficar como opção no banco.

Para o atacante André, independentemente de quem entrar em campo, o importante é conseguir a vitória para dar início à reabilitação do time. “A gente não pensa em derrota nem empate. O mais importante é fazer gol e sair com a vitória. Queremos ganhar para mudar tudo”, disse o jogador, referindo-se às seis derrotas seguidas do Atlético (incluindo Brasileirão e Sul-Americana).

Mas o pensamento é o mesmo do outro lado. “Se vai ter surpresa ou não, eu não sei. Só sei que estamos prontos”, afirmou Joel Santana. O técnico do Cruzeiro também justificou o mistério sobre a escalação com a busca de informações por parte do adversário, pois, segundo ele, “quando não é o treinador, são os auxiliares” que estão à procura de informações.

Joel Santana, no entanto, deixou escapar ao menos que a vaga do zagueiro Gil, vendido para o futebol francês, será preenchida por Léo. Já no ataque, Anselmo Ramon deve atuar como titular, pois a outra opção para o setor, o meia-atacante Dudu – que chegou a treinar ao lado de Wellington Paulista durante a semana -, foi negociado com Dínamo de Kiev, da Ucrânia, e não vai jogar.