Com um time quase inteiramente reserva, o Atlético-MG não passou do empate por 1 a 1 com o Goiás nesta quarta-feira à noite, no Mineirão, pela estreia das equipes na Copa Sul-Americana.

A igualdade em Belo Horizonte deixou a definição de quem avançará à fase internacional da competição para a segunda partida, marcada para o dia 16 de setembro, no Serra Dourada, em Goiânia. Quem passar encara o Cerro Porteño, do Paraguai, já pelas oitavas de final.

Na partida desta quarta, o Atlético claramente fez uma opção por priorizar o Campeonato Brasileiro. Sem sequer inscrever jogadores como Diego Tardelli, Éder Luís e Welton Felipe na primeira fase da Sul-Americana, o time mineiro iniciou a partida com vários reservas e um ataque nunca antes testado, com Pedro Oldoni e Rentería. Já o Goiás veio com força máxima e queria a vitória fora de casa.

A equipe visitante chegou a criar boas chances e ameaçava o Atlético, mas a expulsão de Iarley mudou o panorama do jogo. Ainda aos 32 minutos, o atacante fez falta em Wellington Saci e recebeu o vermelho direto, deixando o Goiás com um a menos. Aproveitando a vantagem numérica, o time mineiro foi para cima e Rentería sofreu pênalti de Rafael Tolói.

Aos 39 minutos da primeira etapa, Pedro Oldoni chamou a responsabilidade e foi para a cobrança, mas bateu para fora. O atacante chutou à direita do gol, com o goleiro Harlei já caído à esquerda. O pênalti desperdiçado esfriou o Atlético, fazendo com que o restante do primeiro tempo seguisse sem emoções no Mineirão.

Na volta do intervalo, porém, a equipe atleticana recuperou o ânimo e foi ao ataque para tentar abrir o placar em casa. Aos 14 minutos, Tchô fez 1 a 0. O meia recebeu na entrada da área e bateu fraco, mas a bola desviou na zaga e enganou Harlei, que ainda viu a bola passar por entre as suas pernas. Em vantagem, o Atlético continuou pressionando.

No momento em que Rentería e Renan Oliveira se movimentavam bastante na frente e o segundo gol atleticano parecia próximo, o time da casa sofreu um baque. Aos 23 minutos, Pedro Oldoni recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Daí pra frente o Goiás cresceu na partida e não demorou a conseguir o empate. Depois que Léo Lima já tinha levado perigo, Renan acabou facilitando as coisas para o time visitante.

Aos 35 minutos, o volante atleticano cometeu falta desnecessária em Everton na área e o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, Felipe deslocou o goleiro Bruno e deixou tudo igual no Mineirão.

Até o fim do jogo, o Goiás ainda chegou perto da virada, mas se contentou com a igualdade fora de casa, que deixa a equipe com a vantagem de empatar sem gols no Serra Dourada para ficar com a vaga.

Ficha Técnica:

Atlético-MG 1 x 1 Goiás

Atlético-MG – Bruno; Felipe Cordeiro, Alex Bruno, Thiago Cardoso e Wellington Saci; Renan, Paulinho, Tchô (Júnior) e Renan Oliveira (Alessandro); Pedro Oldoni e Rentería (Chiquinho). Técnico: Celso Roth.

Goiás – Harlei; Rafael Tolói, Leandro Euzébio e Ernando; Vitor (Júlio César), Ramalho (Fernando), Éverton, Léo Lima e Zé Carlos (Douglas); Felipe e Iarley. Técnico: Hélio dos Anjos.

Gols – Tchô, aos 14, e Felipe (de pênalti), aos 36 minutos do segundo tempo.

Árbitro – Wilmar Roldán (Colômbia).

Cartões amarelos – Paulinho Renan, Renan Oliveira, Thiago Cardoso (Atlético-MG); Douglas e Ramalho (Goiás).

Cartões vermelhos – Pedro Oldoni (Atlético-MG); Iarley (Goiás).

Renda – R$ 15.669,00.

Público – 2.197 espectadores.

Local – Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG).