O Atlético enfrenta o Ceará sábado, no Ecoestádio, precisando vencer para manter acesa as chances de retornar ao G4 – grupo que deixou depois da derrota por 3 x 2 para o Goiás. A partida, que marca o retorno dos jogos do Rubro-Negro em Curitiba, durante os finais de semana, tem características de mais um clássico da Série B. O concorrente de sábado é o segundo time que mais evoluiu no returno da Segundona do Campeonato Brasileiro.

Na classificação geral, o Vozão é apenas o 7.º colocado, com 41 pontos, contra 43 do Furacão, que está em 5.º lugar. Mas a recuperação dos cearenses está um pouco melhor que a do Rubro-Negro nesta nova fase da competição. Enquanto o Atlético tem o 4.º melhor desempenho no 2.º turno, o Ceará só está atrás do Goiás, que é o melhor time nestes primeiros seis jogos de returno. Os cearenses já somaram 14 pontos, com 4 vitórias, dois empates e nenhuma derrota. O Atlético venceu três, empatou duas e perdeu uma, somando 11 pontos em seis jogos.

Ainda que na classificação geral o Ceará esteja atrás, a evolução do time nesta segunda metade da Série B é muito maior que a do Furacão no quesito pontos e aproveitamento. Enquanto o Atlético conseguiu subir uma posição na tabela de classificação, o Vozão subiu três. Em comparação ao desempenho que ambos apresentaram no 1.º turno, o Ceará subiu oito lugares, passando de 10.º para 2.º, enquanto o Atlético ascendeu duas posições, subindo do 6.º para o 4.º lugar (veja infográfico).

Mas o Furacão leva vantagem na pontaria e pode tirar proveito deste quesito no 2.º turno. O ataque do Furacão teve um crescimento de 114% na produção, sendo o melhor do returno e o 5.º no geral. Em 19 jogos do 1.º turno, o time marcou 23 gols, e em seis jogos do returno já balançou as redes 16 vezes, elevando a média de 1,21 gol por jogo para 2,6 gols por rodada – o melhor desempenho dentre todos os clubes. Já o adversário do próximo sábado mantém a mesma média de 1,6 gol por partida, porém o aproveitamento de pontos tem sido maior: 77% contra 61% dos atleticanos. Na primeira fase da Série B, os aproveitamentos foram de 47% e 56%, respectivamente. As defesas se mantêm com o mesmo desempenho no comparativo entre um turno e outro, mas o setor atleticano tem mostrado muito mais eficácia. Ao lado do Guarani é o time que menos teve sua meta vazada na Série B, com apenas 23 gols sofridos até aqui.