O Atlético e a CAP/SA, empresa que administra as obras na Arena da Baixada, negaram ter algum tipo de dívida com a Fomento Paraná, conforme apontou o relatório do Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR), na última quarta-feira.

Em nota, o clube destacou que a própria Fomento também descartou haver algum tipo de inadimplência.

“…CAP/SA não se encontra inadimplente com esta instituição financeira. As parcelas referentes aos juros da operação de crédito contratada fazem parte de um convênio tripartite assinado em setembro de 2010, envolvendo CAP SA, Prefeitura de Curitiba e Governo do Estado. O referido convênio diz que a CAP/SA é responsável por 1/3 do valor das referidas obrigações contratuais. Os 2/3 restantes são de responsabilidade da Prefeitura Municipal de Curitiba e do Governo do Estado”, diz parte da nota da Fomento Paraná.

Mesmo com a nota divulgada pela Fomento Paraná, o TCE-PR reafirmou, na tarde desta quinta-feira (17), a inadimplência da CAP/SA junto a Fomento. Segundo o Tribunal, há documentos que comprovam a cobrança de juros que não foram pagos pela empresa gestora das obras na Arena.