A Caixa Econômica Federal prepara uma ação de marketing junto ao futebol brasileiro, em que, entre os clubes beneficiados, estão o Atlético e o Paraná Clube. O banco, que normalmente patrocina atletas vinculados a outros esportes, vai expor por seis meses sua marca nas camisas das equipes das Série A e B que não têm patrocinador-master. Furacão e Tricolor se enquadram neste perfil e, até dezembro, receberão cada um R$ 1,8 milhão a ser pago em seis parcelas de R$ 300 mil.

No caso do Atlético, o contrato já foi fechado. O anúncio da parceria entre clube e Caixa Econômica Federal será feito na próxima segunda-feira, quando haverá a assinatura do contrato em evento marcado para o CT do Caju. O banco exibirá sua marca no peito e atrás do uniforme. A expectativa, no Furacão, é de que o acordo possa ser renovado em 2013. Paralelamente, a diretoria trabalha para atrair um grande patrocinador, com um contrato de longo prazo, a exemplo do que assinou com a Kyocera, encerrado em 2008. Na época o Rubro-Negro recebeu, extra-oficialmente, cerca de US$ 1 milhão por ano.

O Atlético é um dos poucos clubes brasileiros que iniciou a temporada sem um patrocinador master na camisa. O último contrato, com a marca Philco, foi encerrado após o Campeonato Brasileiro do ano passado e rendia cerca de R$ 5 milhões por ano ao clube.

Já no caso do Paraná Clube o acordo está em “estágio avançado de conversações com a Caixa Econômica Federal. O superintendente do Tricolor, Celso Bittencourt, não quis dar maiores detalhes, mas confirmou que há algumas semanas essa questão tem sido discutida entre a diretoria do clube e o banco estatal. “Talvez na próxima semana tenhamos novidades”, resumiu o dirigente paranista. Para fechar com o Paraná, a Caixa exige certidões negativas do clube com relação a débitos com o governo federal.

O Tricolor não conta com um patrocínio master em sua camisa desde o final da temporada passada. Aliás, o último patrocinador – a chinesa Sinoway – está sendo executado judicialmente por não ter honrado com a maior parte do contrato. O Paraná, mesmo sem receber os vencimentos, carregou a marca em sua camisa durante toda a disputa da Série B de 2011. O departamento jurídico acionou o representante no Brasil e a empresa na China.