O novo prazo estabelecido pelos organismos municipal e estadual para a entrega da Arena da Baixada, que agora é para 30 de novembro deste ano, reabre a discussão sobre o local onde o Atlético vai mandar seus jogos na Série A do Campeonato Brasileiro e nas fases decisivas da Copa do Brasil, caso o Furacão consiga a classificação. Mesmo com o novo sistema de iluminação que está sendo implantado no Ecoestádio, o clube terá dificuldades para mandar os jogos da Primeira Divisão no local, que hoje tem capacidade de 10 mil torcedores.

Para não sair de Curitiba no seu retorno à elite do futebol brasileiro, o Atlético terá que reabrir negociações com os rivais. A primeira delas é com o Coritiba, onde o clube acusa a diretoria do Alviverde de ter desfeito o acordo estabelecido em 2012, quando o Furacão pretendia jogar a Série B no Couto Pereira.

Outra saída seria a retomada das conversas com a diretoria do Paraná, mas o clube não estaria de acordo com os valores cobrados pelo Tricolor. Agora, especula-se que o time atleticano pode mandar seus jogos na Série A nas arenas Fortaleza e Recife, que contam com cadeiras vendidas pela Kango Brasil Ltda.