Foto: Walter Alves
atletico121204.jpg

Washington distribuiu autógrafos.

O Atlético está quase lá. Pode ser hoje que conquiste a segunda estrela dourada e entre no seleto grupo dos clubes que têm mais de um título de campeonato brasileiro. Pode ser que fique para o próximo domingo, para comemorar em casa, com mais torcedores rubro-negros e mais calor humano.

Rio de Janeiro – O que ninguém quer saber é de falação de cartola, ameaças da torcida adversária, nem das condições do estádio de São Januário. O Furacão quer entrar em campo contra o Vasco da Gama para mostrar que não era "nuvem passageira". Se o Santos tropeçar, aí é só correr para o abraço. O confronto contra os cariocas está programado para as 16 horas.

"Nós sabíamos que o nosso time não era uma nuvem passageira, tanto é que está aí, decidindo o título. Todo mundo sabe que está fazendo um bom trabalho e só falta coroar tudo isso neste próximo jogo", exalta o capitão Fabiano. De acordo com ele, o time está tranqüilo e avesso ao bate-boca dos bastidores e aos possíveis problemas que o local da partida contra os vascaínos possa ter. "Eu acho que os incidentes que aconteceram lá já foram superados. Além disso, a nossa diretoria está tomando todas as providências para resolver tudo", aponta.

Essa tranqüilidade repassada pela diretoria transparece nas faces dos jogadores. Desde ontem no chuvoso Rio de Janeiro, o elenco só pensa em jogar futebol e conseguir a vitória. "Estamos concentrados na busca dos três pontos. Não podemos derrapar nestes dois jogos para não darmos margem para que outras pessoas falem", previne o zagueiro Marinho. Ele acredita que na hora da partida o que vai valer é a bola rolando no gramado. "Dentro de campo, a gente esquece o que passou e vai pensar apenas em vencer", garante.

Por isso, se o Vasco encara a partida como final, porque precisa se livrar do rebaixamento, o Atlético entra em campo para jogar como se fosse Copa do Mundo. "Está todo mundo com espírito de decisão. Dependemos desta vitória para ficarmos mais perto do título e não vamos dar mole", promete o meia Fernandinho. Apesar da juventude, ele tem apenas 19 anos, o jogador não se intimida com os fatores extra campo. "Uma hora eles vão ter que se preocupar em jogar futebol e para isso nós estaremos preparados. Na bola, estamos muito bem e dependemos somente da gente", finaliza.

Levir mantém o mistério na escalação

Rio de Janeiro – A delegação do Atlético chegou ao Rio na tarde de ontem ainda cheia de mistérios por parte do técnico Levir Culpi. Sem poder contar com o meia Jádson, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e com as alterações promovidas no Vasco da Gama por Joel Santana, o treinador também resolveu testar várias opções durante os treinos da semana. Mesmo assim, não deve fugir do tradicional 3-5-2 com Fabiano de volta ao time e Raulen entrando pela ala direita. A partida contra os cariocas e que pode dar o título ao rubro-negro está programada para as 16 horas em São Januário.

Adepto dos trabalhos secretos, Levir manteve a tradição e fechou o grupo ao máximo nessa semana decisiva. Preocupado em armar o time para tentar surpreender o adversário, nem fotografias foram permitidas das jogadas ensaiadas. É a tática de quanto menos informações o inimigo souber, melhor. Dessa vez, além das cobranças de falta exaustivamente treinadas por Washington, Ivan, Marcão e Fernandinho, o treinador também aproveitou para testar novas variações do esquema tático. "Estamos vendo o trabalho do lado de lá e vamos decidir qual é a melhor maneira de enfrentar o Vasco", disse.

Foi assim que ele conseguiu a virada em cima do São Caetano, quando saiu do 3-5-2 para o 4-4-2, deslocando Fernandinho da ala para a meia. Desta vez, Jádson não estará em campo, o que abre espaço para Fernandinho se manter nesse setor, mesmo com o esquema tradicional. Assim, Raulen entra pela ala direita, já que também mostrou bom desempenho contra os paulistas.

No restante da equipe, a única alteração será a volta do volante Fabiano. Ele cumpriu suspensão automática contra o Azulão e retorna normalmente. Aliás, ele foi o escolhido para ser o capitão da equipe nesta partida. Na próxima, contra o Botafogo, no entanto, a braçadeira ficará com o atacante Washington. (RS)

CAMPEONATO BRASILEIRO
VASCO X ATLÉTICO

Vasco: Éverton; Thiago Maciel, Fabiano, Henrique e Diego; Ygor, Coutinho, Júnior e Petkovic; Marco Brito (Daniel) e Anderson. Técnico: Joel Santana

Atlético: Diego; Marinho, Rogério Correia e Marcão; Raulen, Alan Bahia, Fabiano, Fernandinho e Ivan; Dênis Marques e Washington. Técnico: Levir Culpi

Súmula

Local: São Januário (Rio de Janeiro-RJ)

Horário: 16h

Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (FIFA-PE)

Assistentes: Erick Bartholomeu Bandeira (PE) e Luciano José Coelho Cruz (PE)