Foto: Anderson Tozato
Lopes não agüenta mais ver falhas nas bolas aéreas.

Os 10 minutos finais das partidas têm sido determinantes para os resultados atleticanos neste Brasileirão. Dos 17 jogos disputados, em nove oportunidades a equipe marcou e sofreu gols a partir dos 35 minutos do 2.º tempo. Contra Atlético Mineiro, Paraná e Corinthians, o Rubro-Negro conseguiu empatar e diante de Internacional e Figueirense, os gols decretaram a vitória.

Em compensação, o time paranaense levou gols, nas mesmas circunstâncias, em quatro ocasiões, que resultaram na perda de pontos importantes e que eram computados como certos na classificação. Os dois piores baques foram contra Sport, na última rodada, e Vasco. No confronto com o time pernambucano, o Atlético vencia por 2 a 0, mas terminou o jogo amargando a derrota (3 a 2), com gols sofridos aos 37 e 43 minutos do 2.º tempo. Diante do Vasco, o empate foi assegurado tranqüilamente até os 40 minutos da etapa final, quando novamente a marcação bobeou e o Furacão dançou.

A desatenção da equipe tem sido criticada constantemente por Antônio Lopes, que vê todo o trabalho de uma semana de treinamento ser aniquilado em bolas cruzadas na área rubro-negra. Foi assim com Vasco, Cruzeiro e Sport, que arrancaram pontos importantes combinando a fórmula fatal para a equipe atleticana.

Falhas

No Rio de Janeiro, um cruzamento da esquerda resultou no gol de cabeça do vascaíno Leandro Amaral. Na Arena, vitória praticamente assegurada, mas o Cruzeiro consegue o empate ?no apagar das luzes?, em mais uma distração do setor defensivo. Cruzamento da direita e gol de Nenê. Para finalizar, no último sábado, dois gols de cabeça marcados pelo Sport em cobranças de escanteio, em falhas da zaga.

A cada resultado ruim se repetem as respostas de que é inaceitável levar gols em erros de posicionamento, em jogadas que foram exaustivamente treinadas durante a semana.

Desempenho

Em 12 jogos à frente do Furacão, Lopes só conseguiu duas vitórias e tem o pífio aproveitamento de 33%. Empatou seis jogos e foi derrotado em outros quatro. Cabe ao Atlético acordar e ter uma mudança de postura em campo, pois, no quesito pontos perdidos, a equipe já está entre as piores da competição.

Alex Mineiro começa fase de recuperação

No final da manhã de ontem, o artilheiro Alex Mineiro recebeu alta do Hospital Santa Cruz e está na residência dele se restabelecendo. O ídolo rubro-negro foi submetido a operação de reconstrução de face na última quinta-feira, em virtude da pancada que recebeu no jogo entre Grêmio e Atlético, em 28 de julho, no Estádio Olímpico. De acordo com o médico Carlos Roberto Ballin, que realizou a cirurgia, o atleta terá que usar um tampão nasal até amanhã e cuidar da alimentação nas próximas seis semanas, pois não pode forçar a mastigação. ?Está tudo bem, mas a recuperação exige um certo cuidado para fixação das placas que foram colocadas?, afirmou o médico ao site do Atlético.

A assessoria de imprensa do jogador informou que Alex Mineiro reagiu bem à cirurgia e está confiante no retorno aos gramados antes do período previsto, que é de três meses. Entre 45 e 60 dias, o artilheiro deverá dar início aos trabalhos físicos. Para incentivar o jogador em seu retorno, o site www.alexmineiro.com.br está pronto para receber mensagens de apoio dos fãs e torcedores, segundo informou Bruno Paiva, um dos gerenciadores da carreira do jogador.