Hoje, às 16h, no Serra Dourada, o Atlético fará uma de seus jogos mais importantes nesta Série B. Trata-se do confronto de duas forças da Segundona. Não só por que recebem as melhores cotas de TV da competição – cerca de R$ 34 milhões cada um -, mas também pelo motivo de, até a pouco tempo, terem sido tradicionais participantes da Primeira Divisão nacional. O Rubro-Negro caiu em 2011 e o Esmeraldino em 2010. Além disso, trata-se do confronto entre o terceiro e o quinto colocados da disputa – o time paranaense deixou o G4 após a vitória do São Caetano, ontem. Por isso, não é exagero afirmar que trata-se de um clássico da Série B.

O jogo será um grande teste para o Furacão, que vem de nove jogos de invencibilidade -sequência que o fez chegar ao sonhado grupo dos quatro melhores na rodada passada. O encontro também é desafiador para o Atlético por outros motivos. O time pode inverter a posição com os goianos e assim se consolidar ainda mais entre os primeiros da tabela. Se não bastasse, a semelhança nas campanhas apimenta o confronto. A briga entre paranaenses e goianos está acentuada em todos os quesitos. Número de gols feitos (38 para eles e 37 para os atleticanos); gols sofridos (23 dos goianos e 20 do Furacão – dono da melhor defesa da Série B); 13 vitórias para cada um e saldo de 17 para o Rubro-Negro e 15 para os goianos.

Assim, a pretensão de ambos em se manter em destaque na competição é que realça ainda mais o clássico da Série B, deixando-o com cara de duelo pela Série A. “A verdade é que a gente vê jogo na Série A que não é de Série A, porque o encaixe do jogo não proporciona isso. Mas os dois estão credenciados a fazer este jogo de Série A”, disse o técnico atleticano Ricardo Drubscky. Diante de tantos bons ingredientes para uma única partida, o volante João Paulo prega cautela para não ser surpreendido por um adversário do mesmo quilate, e que terá a vantagem de jogar em casa. “Temos que ter tranquilidade, tocar bem a bola para fazer os gols. Vai ser um jogo com cara de Série A”, reafirmou o volante, que já garantiu a vaga de titular ao lado de Deivid.

O time que terá a incumbência de barrar o Goiás e elevar a invencibilidade do Furacão para dez jogos não será revelado antes da partida, mas a boa notícia é que o atacante Marcelo participou do treino que a equipe realizou ontem, em Goiânia. Artilheiro do time nesta Série B, com 7 gols, ele deixou o treino de quinta-feira com dores musculares.

Mesmo com a confirmação do goleador, a estratégia de Drubscky é tentar “esconder o jogo” o máximo possível. “Vou liberar a escalação só amanhã [hoje]. É uma questão muito particular para este jogo e vou definir só amanhã [hoje]. Já conversei com os jogadores e vou avisá-los antes”, afirmou o técnico, que reforça a tese de que o duelo será mesmo um confronto de gigantes da Série B. “Será um clássico. Pelas dificuldades múltiplas que vão aparecer, a felicidade será do homem que tiver a bola para matar. Este será um dos jogos mais difíceis, tanto para nós quanto para eles”, finalizou.