O consagrado Ronaldo, a revelação Bruno César e o centenário do Corinthians são apenas detalhes para o Atlético. Na noite de hoje, na Arena, às 22h, o Furacão pretende deixar de lado as virtudes do inimigo e usar o “fator Arena da Baixada” para manter a ascensão no Campeonato Brasileiro.

Além disso, há outra razão que motiva o Rubro-Negro: a possibilidade de se aproximar ainda mais da zona de classificação da Libertadores. A equipe ocupa a 7.ª colocação, com 27 pontos, e vencendo poderá ficar a um ponto do chamado G6, que inclui os já classificados Santos e Internacional para o principal torneio do continente. “Todo jogo está sendo difícil, mas temos de pensar na Libertadores a todo momento”, disse o atacante Bruno Mineiro.

Após o treino de ontem, no CT do Caju, os jogadores rubro-negros ressaltaram respeito ao Timão. No entanto, apesar da vice-liderança corintiana, os atleticanos deixam claro o grau de dificuldade. “Vai ser um jogo difícil para nós, mas vai ser para eles também”, disse o meio-campista Paulo Baier.

Falando em casa cheia, disposição no campo e nas arquibancadas, por causa do duelo contra o Corinthians, Baier faz questão de clamar o apoio popular ao futebol paranaense.

“Precisamos valorizar também as equipes daqui.” A fala de Baier, que volta hoje depois de ser poupado contra o Avaí, é completada por Bruno Mineiro. “O Corinthians é um time grande, mas aqui dentro da Arena quem tem que mandar somos nós”, constatou o atacante, que também retomou a titularidade.

Quando perguntado sobre uma preocupação especial com Ronaldo, o setor defensivo atleticano evitou alarde. “Tem que estar esperto com todos”, disse o zagueiro Manoel.

Novamente questionado, o atleticano ressaltou a necessidade de “ficar esperto todo momento”, o objetivo de vencer o jogo, o nome de outros jogadores, mas nada sobre o fenômeno.

Já o goleiro Neto destacou a mesma preparação de sempre. Evitou citar nomes, elogiou o grupo rival e finalizou deixando claro que, apesar da pouca idade, não existe motivo para intimidação por parte do rival. “Hoje em dia futebol é muito nivelado. E nós do Atlético não devemos nada para ninguém.”