Foto: Valquir Aureliano

Rhodolfo volta ao time após cumprir suspensão. E espera o apoio da torcida rubro-negra.

?O Atlético nos une e a união nos fortalece!?. O antigo lema cujo teor foi deixado de lado nos últimos tempos por causa das rugas do torcedor com a diretoria e vice-versa, volta a ser decisivo para as pretensões do rubro-negro em permanecer na elite do futebol brasileiro.

Nesse momento de futuro incerto as palavras união e força tornaram-se discurso único no clube. E a torcida, agora, é o combustível para fazer a máquina atleticana voltar a funcionar a todo vapor. Começando por hoje, às 16h, no jogo decisivo contra o Atlético-MG.

A força do Caldeirão está sendo apontado por dirigentes, comissão técnica e jogadores como a tábua de salvação para o Atlético se safar do descenso neste ano. Atualmente, o clube está na 17.ª posição (zona do rebaixamento) e começa a se distanciar dos times classificados logo acima na tabela. O Flamengo está a dois pontos distantes, porém tem dois jogos a menos. Em seguida figura o Corinthians, que já abriu quatro pontos do Furacão.

Por esta situação o Atlético chegou no limite e não pode sequer pensar em empatar a disputa contra o Galo mineiro para não se complicar ainda mais. Contanto com este jogo, o Furacão terá nove partidas em casa para mudar o seu destino, que hoje é a segunda divisão.

O técnico Ney Franco ressaltou a importância de contar com o apoio do torcedor para que o mando de campo do Furacão seja o diferencial daqui para frente. ?Temos que fazer o dever de casa. Está no momento de formarmos uma corrente positiva e criar um ambiente favorável para somar pontos já no domingo e na seqüência do campeonato?, afirmou.

Ele destacou que nesses dois jogos em que dirigiu o time pôde constatar que há uma entrega dos jogadores e que não está faltando empenho deles em conseguir tirar o Furacão dessa situação desagradável. ?Está havendo entrega e vontade de vencer. Nesse jogo de hoje teremos todos os ingredientes para jogar bem e pontuar. O Atlético quando joga em casa, com o estádio lotado e o torcedor empurrando, é muito forte?, finalizou.

O zagueiro Rhodolfo, que retorna à equipe após cumprir suspensão automática – foi expulso contra o Internacional -, também reforçou o pedido de apoio da torcida e ditou a fórmula para fugir da crise: ?Em casa não podemos mais perder pontos. Temos que ganhar e buscar pontos jogando fora?.

Em campo, time com modificações

Ney Franco fará alterações no esquema tático do Atlético para o jogo desta tarde na Arena da Baixada. Ontem, ele treinou o posicionamento com três zagueiros e deverá utilizá-lo contra o Atlético-MG. Assim, Antônio Carlos, Rhodolfo e Danilo devem jogar juntos pela primeira vez. Com essa mudança, os laterais ganham liberdade para apoiar o ataque, mas, em compensação, o meio-campo é formado por apenas um meia de criação, no caso Ramon, e dois volantes de contenção – Alan Bahia e Valencia.

O ataque não deverá ser modificado e Ferreira e Pedro Oldoni têm a função de balançar as redes adversárias. No entanto, o recém-contratado Geílson pode ganhar sua chance de estrear no 2.º tempo.

O confronto contra o time mineiro passa a ser um ?tudo ou nada? para o rubro-negro na briga contra o rebaixamento. ?Temos que ter 100% de aproveitamento em casa para que a situação não fique complicada?, analisou Ney Franco.

Diante da mudança na forma de jogar do Atlético, o zagueiro Rhodolfo disse que ele e a equipe não terão problemas para atuar no sistema 3-5-2. ?Até prefiro jogar com três zagueiros porque melhora a marcação?, explicou. (CB)

23.ª Rodada do Campeonato Brasileiro

Atlético/PR x Atlético/MG

Hora: 16h

Local: Estádio Joaquim Américo, Arena da Baixada, em Curitiba

Atlético/PR

Viáfara, Rhodolfo, Danilo e Antônio Carlos; Jancarlos, Valencia, Ramon, Alna Bahia e Edno; Ferreira e Pedro Oldoni. Técnico Ney Franco

Atlético/MG

Édson; Coelho, Leandro Almeida, Marcos e Thiago Feltri; Xaves, Batista, Marquinhos e Danilinho; Vanderlei e Éder Luis. Técnico Emerson Leão

Árbitro: Rodrigo Martins Cintra-SP

Auxiliares: Márcio Luiz Augusto (SP) e Marcelo Bertanha Barison (RS)