Os adversários cooperaram na rodada de folga para o Atlético e o time da Baixada precisa apenas de um empate diante do Paranavaí, no domingo, para ratificar o 1.º lugar na fase de classificação sem depender de ninguém.

Com isso, o clube fatura dois pontos de bonificação para a etapa final e aguarda apenas o resultado do recurso impetrado junto ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) sobre a interpretação do artigo 9.º do regulamento do Campeonato Paranaense, para saber se terá o mando de todos os sete jogos na fase decisiva da competição. Se a decisão lhe for favorável, o Furacão estará com a faca e o queijo na mão para a conquista do Estadual, o que não acontece desde 2005.

A possibilidade do “supermando” rubro-negro desagradou o rival Coritiba que, através de seu presidente Jair Cirino, em entrevista a uma emissora de rádio, afirmou que o posicionamento atleticano viola o princípio da igualdade entre as equipes, o que deveria prevalecer no momento.

No entanto, o presidente alviverde não entrou no mérito da má formulação da tabela para a fase final que, no entendimento do Furacão, é prejudicial ao clube e o que realmente motivou a ação judicial.

STJD

O julgamento no pleno do STJD ainda não tem data definida, mas deverá acontecer dia 26, um dia após o término da fase de classificação do Paranaense.

Isso é outro assunto que poderá gerar confusão caso o Atlético seja o vencedor da ação e tenha que haver modificação na tabela atual já divulgada pela Federação Paranaense (FPF).

A fase decisiva do Estadual tem início marcado para 28 e 29 de março e a Federação seria notificada da decisão judicial no final da tarde do dia 26.

Assim, a entidade não teria prazo viável para elaborar a nova tabela e efetuar a divulgação dos confrontos com escala de árbitros e tudo mais sem ferir o Estatuto do Torcedor no artigo 20 – “É direito do torcedor partícipe que os ingressos para as partidas integrantes de competições profissionais sejam colocados à venda até setenta e duas horas antes do início da partida correspondente”. A divulgação de uma nova tabela da FPF seguindo o calendário atual pode representar uma interrupção no Estadual.

Problemas

Para não haver qualquer tipo de problema com torcedores que se sintam prejudicados e resolvam entrar na Justiça e melar a competição, mandaria o bom senso que a rodada inaugural da 2.ª fase fosse transferida para o meio da semana – dia 2 de abril.

Acontece que a atitude prejudicaria o calendário do futebol paranaense já que não há data disponíveis para prorrogações, porque há clubes disputando paralelamente a Copa do Brasil (Atlético, Coritiba e Paraná).

Uma sugestão seria a FPF já se precaver e elaborar uma nova tabela em caso de derrota no STJD. Assim, a divulgação ocorreria no mesmo dia da decisão do tribunal e amenizaria a situação, com todos os jogos da 1.ª rodada sendo remarcados para o domingo.