Em época de contratações ?galácticas?, no Brasil e no exterior, por que não o Atlético sonhar com o seu ?galáctico? também?

À procura por reforços para a seqüência da Copa Libertadores da América e para o campeonato brasileiro, o Rubro-Negro poderá repatriar o pentacampeão mundial Juninho Paulista, que está no Celtic, da Escócia. A diretoria do clube não confirma os contatos, mas vê com bons olhos a possibilidade de ter o meia de 32 anos.

?Nosso grupo está com carências em algumas posições e estamos vendo um meia de ligação ?com o pé direito? porque ?com o esquerdo? nós temos o Fabrício?, aponta João Augusto Fleury da Rocha, presidente do Furacão. Segundo ele, Juninho Paulista poderia ser este nome. ?É um jogador que tem a cara do Atlético, mas não sei se cabe no bolso do clube?, pondera. Mesmo assim, o dirigente revela que o novo reforço atleticano virá do mercado europeu. ?Temos que esperar o fim dos campeonatos europeus, que se encerram daqui a um mês?, destaca.

Com a negociação de Fernandinho para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia (não confirmada pelos dirigentes), Juninho seria o substituto e viria para reforçar o Rubro-Negro no segundo semestre. O maior empecilho seria o salário do jogador, cerca de R$ 400 mil por mês. No entanto, o atleta não está satisfeito com o técnico Martin O?Neal, que mal o aproveita nas partidas pelo campeonato escocês. Sua vontade de voltar ao Brasil é tão grande que ele chegou a acertar com o Botafogo no início do ano, mas a negociação não evoluiu, e agora o Palmeiras também vem mostrando interesse.

Para jogar por aqui, sua pedida seria reduzida e, mesmo assim, o Rubro-Negro teria a ajuda da nova parceira, a empresa japonesa Kyocera, para bancar os salários do atleta. Aos 32 anos, Juninho tem um currículo bastante vencedor. Com a seleção brasileira, ele conquistou a Copa América em 1999 e a Copa do Mundo em 2002. Antes do Celtic, ele passou por Ituano, São Paulo, Atlético de Madrid e Middlesbrough.

Saídas

Enquanto busca reforços, o clube também tenta colocar em outras equipes jogadores que não deverão ser aproveitados a partir de agora pelo técnico Casemiro Mior. O meia William e o volante Bruno Lança foram para o Juventude e o ala-esquerdo Badé, para o Bahia.

Danilo ganha vaga na equipe titular

O zagueiro Danilo quer fazer da partida contra o Londrina o passaporte para a titularidade no time principal do Atlético. Recém-contratado, ele foi conquistanto um lugar ao sol atuando no ?Ventania?, mas agora quer ser lembrado como um dos três defensores do Furacão. Ao lado do meia Fabrício e do atacante Aloísio, o jogador será uma das novidades no time do técnico Casemiro Mior para pegar o Tubarão, às 19h de amanhã, na Arena, no complemento da quinta rodada do returno do campeonato paranaense.

Apesar da confiança de Mior, Danilo está consciente de que não pode relaxar. ?Eu tenho que provar dentro de campo. Ele está demonstrando que tem confiança no meu trabalho e independente de ter jogado mal, a gente tem um jogo na quarta-feira (amanhã) e temos que fazer prevalecer o mando?, analisa.

O zagueiro ganhou a posição de Cocito, que vai voltar a atuar na meia-cancha, mas está fora do confronto contra o Londrina devido dores no tornozelo. O tornozelo também poderá tirar o zagueiro Baloy da partida de amanhã. Ele sentiu a região nos trabalhos de ontem e é dúvida. Se ele não puder atuar, Tiago Vieira será o líbero. Além dessas alterações, Mior muda também no meio e no ataque. Rodrigo Souto e Lima deixam a equipe para as entradas de Fabrício e Aloísio.

A confirmação da equipe sai no treinamento de hoje à tarde, que deverá ter Diego; Danilo, Baloy (Tiago Vieira) e Marcão; Jancarlos, Alan Bahia, Fabrício, Fernandinho e Marín; Dênis Marques e Aloísio. O último treinamento antes da partida contra o Tubarão está programado para às 17h, no CT do Caju.

Baixada ganha cara nova, com patrocinador acertado

O torcedor que passar pela frente da Arena já poderá notar as primeiras consequências da parceria entre Atlético e Kyocera. O nome da empresa japonesa já foi afixado na fachada do Estádio Joaquim Américo e faz parte do acerto entre as partes. Amanhã, o clube faz o anúncio oficial do primeiro contrato de patrocínio no Brasil envolvendo ?naming rights?.

Segundo a assessoria de imprensa do rubro-negro, trata-se de um negócio inédito no País e terá duração de três anos. Os valores não foram divulgados. Com o patrocínio, os japoneses entrarão com tudo no cenário esportivo nacional, para tentarem transformar a marca da multinacional mais conhecida. Inclusive, o nome fantasia do estádio passará de Arena da Baixada para Arena Kyocera.

Além do nome no estádio e de placas no interior do Joaquim Américo Guimarães (que continuará sendo o nome oficial), a Kyocera também estampará seu logotipo (ou da marca que desejar) no uniforme da equipe. Não está previsto, por enquanto, nenhum acerto para os japoneses administrarem a Arena ou influírem na conclusão do estádio. Em princípio, a parceria será apenas de patrocínio entre as partes.

A assinatura do contrato acontecerá em São Paulo, no Centro Fecomércio de Eventos, com a presença das diretorias de Atlético e Kyocera. Essa apresentação será feita na capital paulista para satisfazer o desejo dos japoneses de apresentarem o patrocínio para a imprensa nacional e paranaense. No dia seguinte, a imprensa paranaense ganha apresentação especial no restaurante do estádio.