Pelo menos duas novidades o Atlético vai ter no jogo contra o Goiás, amanhã, no Serra Dourada, em Goiânia. Com a suspensão do zagueiro Rhodolfo, pelo terceiro cartão amarelo, quem retorna à equipe é Manoel, liberado após cumprir punição de quatro jogos imposta pelo STJD, ainda referente ao caso de agressão e acusação de atitude racista proferida pelo palmeirense Danilo, na Copa do Brasil.

Outro que volta a titularidade no Furacão é Chico. O volante substitui o garoto Deivid. Com as alterações, o técnico Carpegiani mantém o mesmo esquema 4-2-3-1, que vem tentando implantar no Furacão. Pelo menos foi isso que aconteceu no último treinamento realizado no CT do Caju antes da viagem para a região central do País.

Ausente da equipe nas duas últimas rodadas, Manoel criou grande expectativa para a partida contra o Goiás. Afinal, após o triunfo diante do Santos, aparentemente o Atlético entra em uma nova fase. “Estou tendo a oportunidade de voltar e, com o grupo todo, temos que nos unir para buscar a primeira vitória fora de casa neste Brasileirão. Fizemos uma grande partida contra o Santos e temos que fazer também fora de casa. Mantendo o mesmo ritmo e a mesma pegada”, afirmou o defensor.

Manoel tem razão. Como visitante, o Furacão não tem incomodado seus adversários. Nem sequer um empate arrancou. Em cinco jogos do Brasilierão, atuando longe da Arena, foram cinco derrotas (Corinthians, Atlético Mineiro, Internacional, Vitória e Vasco). Em competições nacionais (Brasileiro e Copa do Brasil), o jejum é ainda maior: 13 derrotas. A última vitória aconteceu em 3 de outubro de 2009, contra o Corinthians, no Pacaembu.

A receita para reverter esse quadro foi dada pelo zagueiro atleticano. “Tem que marcar em cima. Não pode dar espaço, por que o Goiás tem jogadores qualificados”, afirmou Manoel.