Com o melhor ataque e a pior defesa da Série A, o início do Atlético na competição nacional já consegue quebrar paradigmas positivos e negativos do clube desde 2003, quando a Primeira Divisão começou a ser disputada por pontos corridos. Enquanto o desempenho ofensivo do Furacão nessas quatro primeiras rodadas -média de 2,25 gols anotados por jogo – é infinitamente superior ao aproveitamento do Rubro-Negro nas últimas nove edições do certame, a defesa atleticana também está se superando, negativamente. A média de 2,25 gols sofridos por jogo é a pior registrada pelo clube na era dos pontos corridos.

O desempenho do ataque é tão bom que consegue, por hora, ter um aproveitamento superior dos três últimos times que conquistaram a Série A. No ano passado, o Fluminense levantou o caneco registrando média de 1,60 gols por partida. Em 2011, quando o Furacão foi rebaixado, o Corinthians foi campeão com 1,39 tentos por jogo. No ano anterior, em outro título conquistado pelo tricolor carioca, a média de gols foi de 1,63.

Desde 2003, o ano que o ataque atleticano se mostrou mais eficaz foi em 2004, quando, comandado pelo técnico Levir Culpi, conquistou o vice com a média de 2,08 gols por jogo. No ano seguinte, quando terminou na sexta colocação, o ataque rubro-negro registrou média de 1,80 tentos por partida. Quando o setor ofensivo se mostrou ineficaz, a queda para a Série B foi inevitável. Em 2011, a equipe teve uma média de apenas um gol por jogo.

Mas se por um lado o Atlético tem ataque de time campeão, a defesa tem desempenho de equipes rebaixadas. Nas últimas três edições da Série A, os times rebaixados não evitaram a queda mesmo com aproveitamento superior ao registrado pelo Furacão até agora. Em 2012, o Sport caiu com média de 1,47 gols tomados. No ano anterior, o próprio Atlético foi rebaixado sofrendo em média 1,44 tentos por partida. Em 2010, o Vitória, último time a entrar na zona de rebaixamento, caiu sofrendo 1,26 gols por jogo.

Na era dos pontos corridos, o Atlético teve pior desempenho da sua defesa na Série A de 2006, quando registrou média de 1,63 gols tomados por partida. Mas foi em 2010, quando terminou a competição na 5.ª colocação e quase conseguiu uma das vagas na Libertadores, que o Furacão registrou seu melhor aproveitamento defensivo, com apenas 44 gols sofridos em 38 jogos e média de 1,15 tentos tomados por partida.