Vadão conta hoje com 41
jogadores no elenco para trabalhar.

O técnico Osvaldo Alvarez, do Atlético, começa a enfrentar um problema inusitado no CT do Caju: a superlotação do elenco. Quando chegou ao clube, o treinador planejava trabalhar com um elenco de 30 a 35 jogadores para suportar o mais longo campeonato brasileiro da história. No entanto, com as contratações realizadas e a volta de jogadores do departamento médico, o grupo rubro-negro “inchou” e já chega a 41 nomes. A solução adotada para colocar todo mundo em atividade tem sido a divisão em grupos distintos, mas alguns atletas que não vêm sendo aproveitados deverão ser emprestados para ganhar cancha.

Enquanto os principais jogadores têm treinado direto com Vadão, um segundo grupo tem trabalhado com seus auxiliares e, alguns até, com o time de juniores nas partidas da Copa Tribuna.

Segundo Vadão, a explicação para tanta gente no CT do Caju tem uma explicação simples. Com a chegada de Capone e de Washington e com a volta do DM de Lobatón e de Douglas Silva o elenco teria ficado “inchado”.

Mesmo assim, a idéia é enxugar um pouco, até para deixar o trabalho mais racional ao longo da semana. “Nós vamos devagar, com calma, com tranqüilidade a gente vai separar. Nós procuramos fazer, como fizemos na semana passada, treinamentos do time titular com a equipe B, o restante com um outro grupo e estamos dando uma boa condição de trabalho para todo mundo”, destaca. Apesar disso, alguns deverão ser emprestados, já que o clube não fala em lista de dispensa. “Se a gente sentir necessidade de aliviar um pouco isso será feito, mas não será afastado ninguém”, finaliza.

Rubro-Negro atrás da 1.ª vitória fora de casa

Depois da reabilitação no campeonato brasileiro em cima do Juventude, o Atlético vai tentar derrubar mais uma marca negativa diante dos gaúchos. Desta vez, contra o Internacional (às 16 horas de domingo,

em Porto Alegre), o time vai tentar ganhar uma partida fora de casa pelo campeonato brasileiro após sete meses e meio. Além de quebrar esse tabu,

a conquista dos três pontos será fundamental para o projeto rubro-negro de começar a chegar próximo dos líderes da competição.

A última vez que o Furacão ganhou fora de casa foi contra o Fluminense, no dia 25 de setembro do ano passado. O técnico ainda era Valdyr Espinosa, que reclamou muito do time e acusou os jogadores de entrarem em campo de sapatilhas. Depois disso,

o treinador caiu em desgraça com o elenco e aos poucos foi sendo empurrado para fora pelos torcedores, mesmo com o time na zona de classificação.

Agora, a situação é diferente. A torcida está dando crédito para a comissão técnica e jogadores e está animada para ir para Porto Alegre. Não é para menos.

Se conseguir passar pelo colorado, o time chegará aos 13 pontos e também aumentará seu aproveitamento na competição, que hoje é de apenas 41,7%. Com a vitória, esse percentual passaria para 48,1% e compensaria a derrota que o time sofreu para o Galo na Arena. Mesmo assim,

a pontuação rubro-negra ficaria muito aquém da projeção do técnico Osvaldo Alvarez, de 70%, para uma equipe ser campeã do Brasileirão.

Mas, como gosta de dizer, Vadão confia em seus números e gosta de usar seus tabus pessoais para incentivar ainda mais o time. “Até me lembro que foi na minha passagem pela Ponte Preta que ela fez mais pontos fora de casa”, diz.

No entanto, precavido, ele prefere confiar mais no trabalho do grupo para superar o vice-líder da competição. “Nos últimos jogos, não foi só a defesa que melhorou, com o Capone e o Rogério. O meio campo foi muito bem, o time foi compacto nos 90 minutos, o que facilita a defesa. O Luciano Santos e o Leomar foram perfeitos na cabeça de área”, analisa.

Trabalho

Hoje, o grupo volta a trabalhar em dois períodos no CT do Caju. À tarde, Vadão deverá fazer mais um coletivo e testar novamente a equipe com a presença de Ilan. O artilheiro da temporada sentiu uma fisgada na coxa contra o Juventude e vem fazendo tratamento no departamento médico. Mesmo assim, o jogador garante que vai para o jogo no Rio Grande do Sul. Por enquanto, Ricardinho vem treinando em seu lugar.