Depois do meia Válber, do Moto Club, o Atlético volta ao mercado nordestino para se reforçar para o Campeonato Paranaense e Copa do Brasil. Agora, o reforço vem da Bahia para suprir a carência na lateral-direita. Entre hoje e amanhã, o presidente do Itabuna, Ricardo Xavier, traz Carlos Alberto para realizar exames médicos no CT do Caju e assinar contrato com o rubro-negro. Enquanto uns chegam, outros deixam a Baixada e fazem o caminho inverso. A diretoria, como é de costume, não confirma nada.

A contratação de Carlos Alberto é mais uma indicação de Álvaro Jr., o mesmo olheiro que recomendou Alan Bahia para o Furacão. E nem precisava muita resenha para trazer o jogador para Curitiba. Pelo menos na teoria. Jovem, começou no futebol amador do interior baiano e foi contratado pelo Itabuna. Principal revelação do campeonato estadual com cinco gols anotados, ele já despertava o interesse de Goiás e Cruzeiro. No entanto, o olheiro recomendou a vinda para o Atlético para ter melhores condições de trabalho e poder jogar mais.

Com ele deve chegar também esta semana o meia Válber, do Moto Club. Por enquanto, nenhum dirigente do rubro-negro confirma, mas ele já é esperado no CT do Caju assim como Carlos Alberto. Com os dois, o clube soma cinco contratações na temporada. Antes deles, chegaram os atacantes William e Rodrigão e o volante Erandir. No entanto, a temporada de ?caça? deve continuar com mais um zagueiro e um atacante.

Se Carlos Alberto e Válber estão chegando, alguns jogadores estão saindo. Confirmado até agora somente a ida do zagueiro Juninho para o Ceará. Ontem mesmo, ele já se apresentou ao seu novo clube. Pouco aproveitado por Lothar Matthäus, ele atuou apenas contra o Cianorte e foi expulso. Além dele, o zagueiro Ígor continua treinando separadamente do elenco principal e tem proposta do Náutico. Se não for para o Timbu, deverá acertar com um time da primeira divisão para o Campeonato Brasileiro.

Mala

Já o auxiliar-técnico Jost Vieth foi dispensado ontem do Atlético. O clube estava considerando a presença dele muito cara para trabalhar mais como tradutor (sem convencer muito) do que como assistente de Matthäus. Para fazer o meio-de-campo entre o alemão e jogadores, comissão técnica e imprensa retorna o curitibano Klaus Junginger, que é profissional da área.

Coluna deixa Ivan longe dos gramados

O drama do lateral Ivan parece não ter fim. Após se recuperar de uma lesão crônica no tornozelo esquerdo, o jogador do Atlético agora tem que conviver com uma lesão na coluna. De nascença. Por isso, ele passará por exames médicos mais apurados em São Paulo para tentar voltar o mais breve possível aos gramados. ?O Petraglia quer que eu vá num especialista da coluna para ver direito, mas acho que é uma consulta de rotina?, minimiza.

Segundo Ivan, esse especialista dirá em quanto tempo ele poderá voltar a jogar futebol. ?Estou com um escorregamento de vértebras, infelizmente já nasci com isso e como fiquei muito tempo parado, devido ao tornozelo, está doendo bastante?, descreve. Segundo ele, a única coisa a fazer agora é ter paciência. ?Tem que esperar a dor sumir para fazer bastante fisioterapia e paciência para voltar ao campo?, explica.

Para o lateral, a pré-temporada está praticamente perdida e quando o problema estiver resolvido haverá a necessidade de um novo recondicionamento.

?Eu estou completamente parado e não posso nem alongar. Quando voltar terei que fazer a preparação física para estar bem com o grupo?, aponta. Tempo de volta? ?Espero que essa dor passe logo para eu voltar e acho que dez dias é o máximo. Se amanhã estiver bom já quero treinar?, finaliza.