O capitão Leomar cobra
seriedade contra o Juventude.

Cachorro mordido por cobra tem medo de lingüiça. Parece que o ditado está em voga pelos lados do CT do Caju. Precisando da vitória para se reabilitar no campeonato brasileiro, os jogadores do Atlético não querem que o filme vivido diante do Criciúma se repita diante do Juventude. As razões para isso são as semelhanças entre as duas equipes, que são do interior de seus estados, já conquistaram a Copa do Brasil e jogam um futebol “pegador”, na linguagem do mundo da bola. Agora, o objetivo é muito respeito e cautela para evitar qualquer surpresa.

“Temos que ter tranqüilidade. Tivemos a prova contra o Criciúma, onde pensamos que íamos fazer o primeiro gol e acabamos levando dois”, aponta o volante Leomar. A preocupação do capitão é lógica. Contra os catarinenses, o time conseguiu se superar e virou para 5 a 2 uma partida que estava perdendo por 2 a 0. “Temos que ter consciência de que o Juventude também é um forte adversário. Não podemos menosprezá-los e achar que é um time de menos expressão”, destaca.

Mesmo assim, o time não vai abdicar de manter sua postura ofensiva. “Aqui, dentro de casa, a gente tem que jogar para frente”, aposta. Para ele, independente de esquema tático, o time precisa da vitória e vai buscar os gols para garantir os três pontos. “Independente de esquema e por precisar ganhar o jogo os dois laterais vão poder ir (à frente), que eu e o Luciano Santos vamos cobrir”, promete.

Opções

Após um início de competição com muitas mudanças de formação, o técnico Osvaldo Alvarez comemorou a possibilidade de poder contar com todos os novos contratados e sem ter nenhum desfalque por contusão ou suspensão. Com exceção do atacante Lobatón e do volante Douglas Silva (que se recuperam de cirurgias e ainda não puderam jogar com Vadão), todos os outros jogadores poderão participar da partida contra o Juventude (às 16 horas de domingo, na Arena).

“Uma hora isso ia teria de acontecer. Demos azar nas primeiras rodadas e não conseguimos repetir nenhuma vez a equipe por dois jogos. Agora resta fazer a melhor escolha para conseguirmos a vitória”, destaca o treinador. A única dúvida do comandante rubro-negro estava na zaga, mas parece que não existe mais. Pelo segundo dia consecutivo, o zagueiro Rogério Correia treinou entre os titulares e deverá ser confirmado hoje após o coletivo apronto a ser realizado no Estádio Joaquim Américo.

Diego recebe prêmio de melhor goleiro-2002

O goleiro Diego, do Atlético Paranaense, pode estar sendo alvo de críticas em função de suas últimas atuações no campeonato brasileiro. No entanto, neste domingo, o jogador vai ter oportunidade de recordar os melhores momentos no Brasileirão do ano passado, quando vestia a camisa do Juventude. Com uma média de 6,41 pontos, em 27 jogos analisados, o jogador é o goleiro da seleção Bola de Prata, que a revista Placar elege todos os anos, com participação de cronistas esportivos de todo o país.

A premiação deste ano será no domingo, durante o programa Terceiro Tempo, comandado por Mílton Neves, na Rede Record.O time premiado tem Diego; Mancini (Atlético-MG), Alex (Santos), Fábio Luciano (Corinthians) e Athirson (Flamengo); Tinga (Grêmio), Fábio Simplício (São Paulo), Kaká (São Paulo) e Ramon (Vasco); Robinho (Santos) e Gil (Corinthians). A Bola de Ouro ficou com Kaká.

Na classificação final, apenas quatro jogadores que defendiam o futebol paranaense no ano passado aparecem entre os dez primeiro de cada posição. O goleiro Fernando, do Coritiba, ficou em nono lugar, com média de 6,16 em 25 jogos analisados. O lateral-esquerdo Fabiano, que defendia o Atlético Paranaense e hoje se destaca no São Paulo, ficou em 10.º na sua posição, com média de 5,74, em 21 jogos analisados. O volante Roberto Brum, do Coritiba, ficou em 8.º, com 5,98 de média, em 23 jogos e o companheiro de equipe Tcheco ficou em 9.º entre os meias, com 6,2 de média em 20 partidas.

Washington faz últimos exames

O atacante Washington encerrou ontem a bateria de exames no coração a que se submeteu para poder acertar seu ingresso no Atlético. Os resultados foram apresentados à diretoria, que daria a palavra final a respeito de sua contratação. Hoje, o clube deverá revelar os resultados da consulta feita a dois especialistas da cidade para saber as reais condições do jogador, que está tentando romper o vínculo com o Fenerbhaçe para poder voltar a jogar no Brasil.

Na reunião, prevista para ser realizada na Arena, estariam presentes o presidente Mário Celso Petraglia, o chefe do departamento médico do clube, Edílson Thiele, e os cardiologistas Paulo Brofmann e Costantino Costantini, que realizaram baterias de exames independentes para atestar se Washington tinha ou não condição de voltar a jogar futebol após ter sido submetido a uma cirurgia cardíaca. Em dois exames médicos anteriores, feitos na Clínica Mayo (Estados Unidos) e no Incor (São Paulo), o jogador foi aprovado e liberado para poder jogar.