Walter Alves / O Estado do Paraná
Jádson comemora com
Fernandinho e Washington.

Não foi fácil, nem foi o jogo dos sonhos da torcida, mas o Atlético conseguiu superar o lanterna e continua na caçada ao Santos pela liderança do Campeonato Brasileiro. Com o 2 a 0 sobre o Guarani, ontem, na Arena, o Rubro-Negro se manteve na segunda posição e continua dependendo apenas de si para conquistar a segunda estrela dourada. O próximo compromisso é justamente o Peixe, numa partida que já pode ser considerada a final antecipada da competição.

Apesar do amplo favoritismo do Atlético, ninguém considerava a partida como vencida antecipadamente. Tanto que o respeito foi pregado durante a preparação. A precaução foi bem-vinda. Mesmo na lanterna da competição, o time de Campinas começou mostrando um bom futebol e, com Agnaldo Liz no comando, já esboça reação.

O cartão de visitas do Bugre veio logo no início, com Sandro Hiroshi mostrando perigo à defesa atleticana e com Valdir Papel chutando forte para fora. Mesmo com o ímpeto do “lanterna”, o Rubro-Negro não se apavorou e esperou a hora certa de dar o bote. Foi num contra-ataque a primeira resposta aos campineiros. Fernandinho cruzou da direita, mas Washington não chegou.

Mesmo assim, os paulistas não se impressionaram e voltaram à carga. Sandro Hiroshi cabeceou e obrigou Diego a fazer bela defesa. Washington, no entanto, fez a diferença. Ajeitou para Fernandinho, após dividiu com a zaga e só tocou o meia finalizar no canto e abrir o marcador, após boa troca de passes do ataque rubro-negro.

O time de Campinas não esmoreceu e foi para cima tentar o empate. Tanto o goleiro Diego, quanto a trave salvaram o Furacão. Fora isso, o restante do primeiro tempo se arrastou.

Para a segunda etapa, o que se esperava era uma melhora da partida, principalmente por parte do Atlético, que nem lembrava o time que passou pelo Coritiba. Ficou só na expectativa. O jogo voltou a se arrastar com uma ou outra chance de lado a lado. Com a pouca criação dos atacantes, até o volante Alan Bahia teve oportunidade, que obrigou Jean a operar um milagre.

Apesar de tudo isso, quem tem sorte de campeão, quando as coisas não vão bem, consegue superar as dificuldades ou, pelo menos, superar os obstáculos. Assim, com essa sorte e competência, o atacante Dagoberto interceptou um tiro de meta e tocou para Washington fazer o segundo e tranqüilizar os ânimos na Baixada. O Guarani ainda teve uma chance incrível de diminuir com Catatau, que cabeceou na trave e com Valdeir, que perdeu o rebote debaixo da trave e chutou para fora.

CAMPEONATO BRASILEIRO
28.ª Rodada
Local: Arena da Baixada
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (Fifa-SC)
Assistentes: Marco Antônio Martins (SC) e Luiz Alberto Kallenberger (SC)
Gol: Fernandinho aos 15 do 1.º tempo; Washington aos 36 do 2.º tempo
Cartão amarelo: Dida, Dagoberto, Marcão, Roberto, Valdeir
Renda: R$ 129.051,00
Público pagante: 10.349
Público total: 11.568

Atlético 2 x 0 Guarani

Atlético
Diego; Marinho, Fabiano e Marcão; Fernandinho, Alan Bahia, Pingo (William), Jádson (Morais) e Ivan; Dagoberto (Dennys) e Washington. Técnico: Levir Culpi

Guarani
Jean; Dida (Catatau), Carlinhos, João Leonardo e Patrick; Roberto, Douglas (Valdeir), Careca (Simão) e Harison; Sandro Hiroshi e Valdir Papel. Técnico: Agnaldo Liz