André Lima estreou com estilo no Atlético. Entrou no jogo com o Operário, estreia do Campeonato Paranaense, e em poucos minutos marcou os gols da vitória – o início da caminhada rubro-negra até o título estadual. Hoje, é o atacante mais efetivo do time, artilheiro e ídolo. E assim entra em campo no Atletiba desta quarta-feira (29), às 21 horas, no Couto Pereira.

Por enquanto, seu retrospecto é fraco. Em dois clássicos, foi reserva e entrou, mas pouco fez. Na primeira fase do Paranaense, na derrota por 2×0 na Arena da Baixada, foi expulso depois de apenas 16 minutos. A outra aparição foi no segundo jogo da final do Paranaense, com o título atleticano garantido.

Mas agora a fase é bem diferente. Titular absoluto, André passou a ser mais festejado pela torcida do que Walter, que ficou no clube para ser ídolo. Também, o centroavante é artilheiro do time na temporada com 10 gols em 28 jogos, enquanto o camisa 18 marcou somente duas vezes em 25 partidas.

André Lima precisa de menos arremates do que Walter para resolver. Finalizou sete vezes e anotou dois gols – o último um golaço nos 2 a 0 sobre o Grêmio. Walter, por sua vez, precisou de 19 chutes ao gol para fazer um gol.

Ótima fase que deixou para trás a desconfiança inicial da torcida. Após três anos de Grêmio, André Lima teve uma passagem rápida pela China e chegou a treinar no Coritiba, onde não assinou por alegados problemas médicos. E a última imagem do atacante havia sido o rebaixamento com o Avaí na temporada passada. Agora, André Lima é o 99 preferido dos rubro-negros, candidato a herói do Atletiba.