Já virou rotina e no Atlético está sendo assim: é uma no cravo e outra na ferradura. Dias depois de perder para o Santa Cruz, vice-lanterna do Brasileirão, o Furacão, sem ser brilhante, mas com muita eficiência, venceu o São Paulo por 1×0, domingo (18) na Arena da Baixada, chegou aos 39 pontos, subiu para a 7ª colocação e voltou a se aproximar do G4 da competição. Com grande aproveitamento como mandante, o time rubro-negro tem a chance de encostar de vez no pelotão de frente no próximo domingo (25), quando enfrenta a Ponte Preta, mais uma vez no Joaquim Américo.

No embate de dois times que estão entre as quatro melhores defesas do Brasileirão, o que se viu no primeiro tempo foi um jogo de muita marcação e de pouca inspiração ofensiva. Os erros de passes dos dois times dificultavam que as chances pudessem aparecer. Apesar de ter problemas no seu setor de criação, o Furacão buscou pressionar o São Paulo no início, criou duas boas chances com Hernani e Thiago Heleno, mas Maicon e, principalmente, o goleiro Dênis evitaram o gol.

Sem conseguir sustentar um futebol de intensidade durante todo o primeiro tempo, o Atlético permitiu que o São Paulo equilibrasse o jogo e, assim, começou a brilhar a estrela do goleiro Weverton. Aos 35, depois da jogada de Cueva pela esquerda, Chávez recebeu livre na pequena área, desviou para o gol e o goleiro atleticano fez grande defesa. Pablo respondeu para o Furacão em um chute de fora da área, mas foi o tricolor paulista que chegou mais perto de marcar. De fora da área, Cueva bateu colocado e Weverton fez outra grande defesa.

O São Paulo voltou melhor do intervalo. Mais disposto a acabar com a escrita de nunca ter vencido na Arena da Baixada, o tricolor paulista passou a atacar mais, mas esbarrava na solidez defensiva do Furacão. Aos poucos, o time atleticano, sobretudo depois da entrada de Luciano Cabral, reequilibrou o jogo e passou a criar boas chances de abrir o placar. Aos 10 minutos, Lucas Fernandes arriscou da entrada da área e quase marcou.

Com mais velocidade pelos lados depois da entrada de Juninho, o Atlético chegou perto de marcar aos 29. Depois do lançamento de Luciano Cabral, Juninho bateu cruzado e Dênis defendeu. Fraco tecnicamente, o jogo só poderia ser definido em um lance bastante disputado. Após o escanteio cobrado por Léo, a bola desviou no meio do caminho, enganou Dênis e Pablo, livre, marcou de barriga e colocou o Furacão em vantagem.

O time rubro-negro, que não à toa tem a segunda melhor defesa do Brasileirão, se fechou totalmente e conseguiu brecar o ímpeto do São Paulo. O tricolor paulista, depois da entrada do ex-paranista Robson, foi para o tudo ou nada, mas prevaleceu a boa postura defensiva do Atlético que, além de subir na classificação, manteve a invencibilidade nos jogos contra o time paulista na Arena da Baixada.

Pablo, o Furacão! Leia mais do Atlético na coluna do Mafuz!