Em meio a toda a turbulência em que o Atlético se envolveu nos últimos dias, com as cobranças da torcida e o afastamento do presidente do Conselho Deliberativo, Mario Celso Petraglia, o baixo desempenho do time em campo ficou em segundo plano. A sequência de oito jogos sem vitórias, sendo seis pelo Campeonato Brasileiro, um pela Copa do Brasil e um pela Libertadores, deixou de ser o principal assunto do clube.

Porém, esta trégua já começa a acabar. Amanhã, às 21h45, na Arena da Baixada, o Furacão volta a campo para encarar o Grêmio pelo duelo de volta das quartas de final da Copa do Brasil, onde terá uma missão extremamente complicada. Como foi goleado por 4×0 pelo adversário em Porto Alegre, o Rubro-Negro precisa vencer pelo mesmo placar para, no mínimo, levar a disputa da vaga para a semifinal para os pênaltis.

“Acho que é um resultado avultado, mas temos que dar a cara. Vamos jogar no nosso campo e temos que lutar e tentar reverter. Se somos capazes, eu não sei, mas temos que ganhar o jogo como seja, para voltar a tranquilidade à equipe”, afirmou o técnico Fabiano Soares.

E, de fato, talvez avançar para a próxima fase nem seja o mais fundamental. Uma classificação histórica mudaria todo o contexto do Atlético, mas o principal será jogar bem e vencer o Grêmio, que vem muito bem na temporada. Uma boa atuação somada a uma vitória diminuiria a pressão que o elenco vem sofrendo por esta fase ruim e recuperaria a confiança não só para o Brasileirão, mas também para tentar reverter a derrota por 3×2 para o Santos, nas oitavas de final da Libertadores. Porém, caso o contrário, uma nova derrota vai fazer mais uma vez a Arena se transformar em um caldeirão contra o próprio time.

“(O que falta é) A tranquilidade de anos anteriores, quando a torcida nos ajudou. E tranquilidade na hora de finalizar. Aí a coisa vai mudar e a união vai ser perfeita”, apontou o treinador, que terá um time remendado para esta partida.

Sem poder contar com jogadores como os atacantes Ribamar e Ederson, os volantes Esteban Pavez e Bruno Henrique, que não estão inscritos no torneio, além do meia Nikão, que foi expulso no jogo de ida, Fabiano Soares terá que recorrer a outras peças pra tentar fazer o Furacão voltar a jogar bem. E uma das apostas é o meia Felipe Gedoz.

“O Gedoz é um grande jogador. Desde que cheguei gosto dele. O problema é que ele ficou muito tempo parado e estamos tentando dar ritmo para demonstrar o grande jogador que é”, destacou o comandante atleticano.