A partir desta terça-feira (23), os sócios do Atlético começarão a se cadastrar para o acesso biométrico na Arena da Baixada, novidade que o clube está implementando para tentar garantir mais segurança dentro do estádio. O Furacão dividiu os torcedores por data de nascimento e nas próximas duas semanas apenas os nascidos nos meses de janeiro e fevereiro poderão fazer o cadastro, no Espaço Sócio Furacão.

O atendimento será de terça-feira a domingo, das 10h30 às 19h e o cronograma termina apenas na primeira metade de agosto, quando os nascidos entre novembro e dezembro farão o cadastro. No entanto, o que mais chama a atenção, e já vem tendo reclamações dos torcedores, é o fato de que todas as cadeiras que são de associados terão que ter um beneficiário exclusivo.

Segundo a nota do site do Rubro-Negro, o torcedor que tiver mais de uma cadeira no mesmo nome, terá que cadastrar um outro usuário para a utilização dos demais lugares, sendo que só esta outra pessoa poderá utilizar a cadeira. Caso o torcedor queira substituir o beneficário, terá que esperar um prazo de 180 dias, ou então pagar uma taxa extra.

“Os eventuais beneficiários poderão ser substituídos após decorridos prazos de carência de 180 dias. Em situações excepcionais será permitida a substituição de beneficiários dentro dos prazos de carência, porém, nestes casos, com a cobrança de uma taxa equivalente a uma mensalidade do respectivo plano”, explica a nota.

A decisão do clube revoltou os torcedores. Na própria página da nota, no site oficial, alguns atleticanos se manifestaram contra e até ameaçaram deixar o quadro de sócios, por alegarem que nem sempre podem ir com a mesma pessoa aos jogos e, por isso, acabam repassando o smart card.

Para fazer a biometria, os sócios terão que apresentar um documento de identificação oficial com foto e o Smart Card. Além da biometria, serão cadastradas outras informações, como RG, CPF e endereço, para garantir o acesso aos jogos.

O cronograma para o cadastramento está no site oficial do Atlético.