A intensidade tem sido um fator importante para o Atlético na Arena da Baixada. Neste sábado (10), o Furacão bateu o Cruzeiro por 2×0 e foi ainda no primeiro tempo que o Rubro-Negro encaminhou a partida, com gols marcados por Marcelo Cirino, aos 9 minutos, e Raphael Veiga, aos 21.

+ Leia mais: Atlético vence Cruzeiro na Arena

Com a aposta no ritmo forte no início do confronto e impondo seu jogo, o Furacão garantiu mais uma vitória importante no Campeonato Brasileiro. Com 46 pontos somados restando cinco partidas para o fim da competição, o Atlético entrou momentaneamente no G6.

+ Veja ainda: Atlético arrancou na hora certa nesta temporada

Ainda que o Cruzeiro não tenha conseguido criar oportunidades e sequer ofereceu riscos, os donos da casa perderam a oportunidade de, no segundo tempo, ampliar ainda mais o placar. Essa queda na força ofensiva se deu, na opinião do meia Raphael Veiga, devido ao cansaço do time, que vem de um jogo que exigiu muito fisicamente.

+ Mais lida: Petraglia diz que pode mudar a cor do Atlético

 “A gente fez um primeiro tempo bom, mas o segundo não foi no mesmo ritmo porque tem o desgaste do jogo da Sul-Americana”, disse o camisa 7, lembrando da partida do Furacão diante do Fluminense, na última quarta-feira (07), em que a equipe atleticana abriu 2×0 de vantagem no primeiro jogo da semifinal da competição continental.

Constância

Sabendo da importância de ter uma equipe “inteira” nas duas competições até para manter seu estilo agressivo, o técnico Tiago Nunes optou, em algumas oportunidades, por poupar jogadores titulares. No confronto deste final de semana, apenas o zagueiro Paulo André e o volante Lucho González, considerados “donos das posições”, estiveram de fora, porém a ausência se deu por problemas físicos. Paulo André trata um problema no pé, enquanto Lucho evitou forçar uma dor que sente nas costas.

+ Também na Tribuna: Renan Lodi interessa a clubes europeus

Diante do Cruzeiro, o Atlético foi comandado pelo auxiliar técnico Evandro Fornari, já que Tiago Nunes cumpriu suspensão devido à expulsão na partida contra o Internacional, em Porto Alegre.

Ele vê essa intensidade do time em jogos, sobretudo, em casa, como um diferencial do Furacão. “Dentro de casa fazemos um jogo agressivo e temos conseguido ser efetivos e temos conseguido abrir uma vantagem ainda no primeiro tempo”, declarou o interino.

+ Batalha: Atlético tem derrota na Justiça e deve R$ 500 mi pela Arena

Assim como Nunes, Fornari não acredita haver uma única equipe titular, mas reforça que visando preservar a saúde física de seus jogadores, fazem algumas alterações quando necessário.

 “Todos atletas têm condições e já tiveram oportunidade de mostrar isso. Nosso discurso para nosso elenco é: “se prepare”. Sempre em conjunto com departamento médico e de fisiologia, a gente discute e vê as condições físicas e procura se precisar trocar peças pontuais, a gente tem total confiança no grupo e vai fazer”, disse.

+ Veja: Confira a tabela e a classificação do Campeonato Brasileiro

Autor do segundo gol atleticano da vitória sobre o Cruzeiro, Veiga quer continuar contando com a “explosão” do time para a sequência da temporada, tanto nos jogos restantes da Sul-Americana, quanto no Brasileirão.

 “Nosso time esta se mostrando cada vez mais maduro e estamos mostrando que podemos brigar por coisas grandes este ano”, finalizou.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!