A resposta demorou, mas veio com tudo. Depois do meia Vinícius acusar o vice-presidente Márcio Lara de ter ameaçado ele em uma reunião na segunda-feira (27) e de ter feito um boletim de ocorrência relatando o fato, o Atlético decidiu atacar o jogador em uma nota no site oficial do clube. É a demonstração definitiva de que não há qualquer condição de reatamento entre as duas partes, que só deverão se acertar agora na Justiça.

Ameaçado, Vinícius faz BO contra cartolas do Atlético!

O Atlético respondeu com uma dura nota oficial que não só desmente como ataca Vinícius. No texto, o clube diz que aconteceu exatamente o contrário, que foi o jogador quem ameaçou Sidiclei Menezes. Segundo a diretoria do Furacão, Vinícius teria ofendido “moral do gerente do CAP, chamando-o de mentiroso e ameaçando-o com as seguintes palavras: “vai encarar?”, em claro ato de indisciplina, insubordinação e mau procedimento”. No final do texto, o Atlético informa que Vinícius está suspenso por sete dias, e que Sidiclei também registrou boletim de ocorrência “pelas ofensas e ameaças de agressão”.

Vinícius foi afastado no ano passado por ter tido problemas de relacionamento com o presidente do conselho deliberativo do Atlético, Mário Celso Petraglia. Foi emprestado para o Náutico e voltou no início do ano. Teve uma conversa com Petraglia em janeiro e imaginou ter acertado os pontos com o cartola, mas no final das contas a rusga seguia, como ficou evidente quando o jogador soube que só seria emprestado para o Avaí se aceitasse abrir mão de cerca de 900 mil reais do pagamento de luvas que estavam atrasados. Vinícius não aceitou e seguiu afastado do grupo principal.

Na semana passada, os advogados do jogador conseguiram uma liminar que obrigava o Atlético a realizar o pagamento dos atrasados e reintegrá-lo ao elenco comandado por Paulo Autuori. Dessa decisão surgiu a reunião de segunda, da qual agora surge a versão rubro-negra. Procurado pela Tribuna, Vinícius disse que não vai mais falar sobre o assunto.

Leia na íntegra a nota do Atlético:

O Clube Atlético Paranaense vem a público esclarecer os fatos ocorridos na data de ontem (27/03) com o atleta Vinícius Goes Barbosa de Souza e contestar a versão repassada pelo jogador. Em verdade, o Clube por meio de seu Segundo Vice-presidente, Marcio Lara, e de seu Gerente de Negócios, Sidiclei Menezes, reuniu-se com o jogador com o objetivo de renegociar os termos do seu contrato de trabalho desportivo, assim como entender os motivos que o levaram a não aceitar o seu empréstimo para o Avaí, mesmo após aceite inicial da proposta e da realização de exames médicos no clube catarinense, nos dias 14 e 15 de março. Nesta oportunidade, o atleta agiu de forma extremamente ofensiva e desrespeitosa, inclusive ofendendo a honra e a moral do gerente do CAP, chamando-o de mentiroso e ameaçando-o com as seguintes palavras: “vai encarar?”, em claro ato de indisciplina, insubordinação e mau procedimento.

Registre-se que o CAP nunca negou suas obrigações pactuadas em contrato – buscava apenas renegociar seus termos – ainda que o histórico do jogador não siga pelo mesmo caminho, o qual em 2016 se envolveu em outros atos de indisciplina junto ao grupo principal, antes de seu empréstimo ao Náutico.

Adicionalmente, informa-se que o atleta estava treinando normalmente no Clube, mas não integrado diretamente ao grupo principal por estar à disposição para negociação com outros clubes. É importante mencionar que em nenhum momento o atleta esteve afastado de suas atividades no Clube, sendo que a sua escalação depende exclusivamente de critérios técnicos.

Diante do ocorrido, o Clube comunica que aplicou uma pena disciplinar ao atleta de suspensão pelo prazo de sete dias. Igualmente, o CAP informa que o Gerente Sidiclei Menezes já registrou boletim de ocorrência pelas ofensas e ameaças de agressão.