Depois da euforia com a grande vitória conquistada contra o Peñarol, pela Sul-Americana, na última quinta-feira (26), o Atlético volta as atenções ao Campeonato Brasileiro. Com apenas dez pontos conquistados até agora, o time é vice-lanterna da competição e recebe neste domingo (29) contra o Vitória, na busca pela reabilitação.

Mais do que um bom resultado, a vitória contra os uruguaios trouxeram de volta o orgulho dos jogadores. No aspecto moral, superar um pênalti desperdiçado e vencer com um homem a menos, deu um gás a mais pra sequência da temporada.

“Estávamos precisando de uma vitória como essa para dar confiança também para o Campeonato Brasileiro. Mostramos que a equipe tem qualidade e não merece estar na posição atual”, afirmou o lateral-esquerdo Renan Lodi em entrevista ao site do Atlético.

Outro aspecto positivo do resultado positivo foi o bom encaixe do setor ofensivo. Segundo dados da Conmebol, o Furacão finalizou 19 vezes no último compromisso, o que mostra que o time tem potencial para atacar os adversários com mais efetividade. O adversário, bem marcado, só chegou com objetividade em sete oportunidades.

Desfalques

Para o compromisso, o técnico Tiago Nunes vai ter quatro desfalques por suspensão. A começar pelo gol, onde Santos pegou mais um jogo de gancho por ter manuseado um celular durante a partida contra o Atlético Mineiro. O ato, segundo o Atlético, foi motivado por uma ação de marketing. O Furacão ainda tem os desfalques do meia Lucho Gonzalez, do meia atacante Guilherme e do atacante Bergson. Na zaga, Thiago Heleno segue em recuperação no DM.

O Atlético voltou aos treinos nesta sexta-feira (27) e fez mais uma movimentação neste sábado (28), no período da manhã. Oportunidade para buscar mais entrosamento em um time bastante modificado, mas ainda cercado de mistério quanto à escalação.