O Atlético colocou um pé na decisão da edição de 2018 da Copa Sul-Americana. Com a Arena da Baixada lotada, o Furacão venceu o Fluminense por 2×0, na noite desta quarta-feira (7), e agora pode até perder por um gol de diferença na partida de volta, no Maracanã, dia 28 deste mês, que mesmo assim estará na final do torneio internacional. A vitória do tricolor carioca pelo mesmo placar levará a disputa para as penalidades. O time atleticano volta agora suas atenções para a disputa do Brasileirão. Neste sábado (10), às 21h, no Joaquim Américo, encara o Cruzeiro podendo se aproximar do G6 do torneio.

+ Lance a lance: Confira como foi o jogo no nosso Tempo Real!

Atlético e Fluminense fizeram um jogo digno de semifinal de Copa Sul-Americana. Bastante movimentado, o primeiro tempo começou com o tricolor carioca tentando surpreender o Furacão com a sua marcação mais adiantada. Mas foi do time atleticano a primeira chance de gol. Aos 3 minutos, Nikão cruzou, Pablo cabeceou, mas fraco demais e Julio César fez a defesa. Na sequência, Lucho González lançou, Marcelo Cirino ganhou de Julio César, mas o zagueiro Gum salvou os visitantes.

O Fluminense, aos poucos, conseguiu equilibrar a partida e conseguiu chegar com perigo em duas bolas paradas. Na primeira, Gum cabeceou no canto e Santos defendeu. Depois, Sornoza cobrou escanteio, Luciano tentou duas vezes e o goleiro atleticano fez duas grandes defesas. A resposta do Atlético foi rápida. Jonathan lançou para Pablo que, na cara do gol, bateu em cima do goleiro Julio César.

Mais organizado, o Atlético viu sua pressão dar resultado aos 19 minutos. Renan Lodi pegou o rebote e, depois da primeira tentativa parar no zagueiro Gum, o lateral atleticano emendou de primeira, acertou o canto de Julio César e abriu o placar na Arena. O Furacão seguiu pressionando o Fluminense, que se assustou com o gol tomado. Aos 23, Marcelo Cirino roubou no ataque, tabelou com Raphael Veiga, mas Julio César salvou. Na sequência do lance, Nikão arriscou de fora e quase marcou.

Thiago Heleno divide com Ayrton Lucas. Foto: Albari Rosa
Jonathan divide com Ayrton Lucas. Foto: Albari Rosa

Aos 32, em outra boa investida de Renan Lodi, Marcelo Cirino antecipou Ayrton Lucas, mas cabeceou em cima de Julio César. No final da etapa inicial, o Fluminense conseguiu chegar perto do empate, mas sempre nos erros defensivos do Furacão. O time rubro-negro insistia em sair tocando, mas o tricolor carioca conseguia marcar bem. Aos 39, Jonathan errou dentro da área, Everaldo roubou e Santos salvou. Aos 44, em outra saída errada, desta vez de Marcelo Cirino, Luciano arriscou de fora e assustou o goleiro atleticano.

O Atlético não voltou bem do intervalo. Satisfeito com a vitória, o Furacão deu um passo atrás e passou a não se expor. No entanto, o time atleticano seguiu errando muito na saída de bola. O Fluminense, então, passou a criar boas chances para empatar. Aos 12 minutos, Sornoza arriscou de fora da área e Santos defendeu. O time rubro-negro respondeu logo em seguida, mas o chute de Bruno Guimarães passou perto do gol de Julio César.

O tricolor carioca, mais organizado diante da postura mais recuada do Atlético, seguiu criando boas oportunidades. Aos 21, o zagueiro Ibañez roubou no meio, tabelou com Sornoza e, dentro da área, acabou chutando para fora. Seis minutos mais tarde, Everaldo recebeu na área e rolou para Sornoza, mas o meia equatoriano, livre, errou o alvo.

Com Rony na vaga de Marcelo Cirino, o Atlético ganhou mais poder de fogo na reta final do jogo para tentar ampliar a vantagem. Aos 28, Rony serviu Pablo que, dentro da área, chutou forte e mandou no travessão. Três minutos mais tarde, Nikão lançou para Rony, que apareceu na cara do gol e bateu em cima do goleiro Julio Cesar.

+ Polêmica: Petraglia fala em “mudar cor” de símbolos do Atlético

A pressão do Atlético deu resultado aos 32 minutos. E o gol foi do “cara” que mudou o jogo no segundo tempo. Renan Lodi cruzou na medida para Rony, bem colocado na área, cabecear sem chances para Julior César e ampliar a vantagem. O gol deu a tranquilidade necessária para o Furacão retomar o controle do jogo. O Fluminense, assustado, não esboçou reação e terá agora uma missão dura pela frente na partida de volta, no Maracanã.

Ficha técnica

SUL-AMERICANA
Semifinal – Jogo de Ida

Atlético 2×0 Fluminense

Atlético
Santos; Jonathan, Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Lucho González (Wellington), Bruno Guimarães e Raphael Veiga; Nikão, Marcelo Cirino (Rony) e Pablo (Bergson).
Técnico: Tiago Nunes

Fluminense
Júlio César; Ibañez, Gum e Digão; Jadson, Airton (Léo), Richard, Sornoza (Junior Dutra) e Ayrton Lucas; Everaldo e Luciano.
Técnico: Marcelo Oliveira

Local: Arena da Baixada
Árbitro: Roddy Zambrano (EQU)
Assistentes: Christian Lescano (EQU) e Byron Romero (EQU)
VAR: Mauro Vigliano (ARG)
Gols: Renan Lodi 19 do 1º e Rony 32 do 2º
Cartões amarelos: Marcelo Cirino, Lucho González, Renan Lodi (CAP); Ayrton Lucas, Everaldo (FLU)
Público pagante: 26.241
Público total: 28.403
Renda: R$ 928.880,00

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!